Cafôfo defende que a pobreza tem de ser combatida dando condições de emprego e habitação

O candidato do PS-Madeira a presidente do Governo Regional, Paulo Cafôfo, esteve de visita à Associação “Monte de Amigos”, instituição social que apoia pessoas mais carenciadas e que, além dos bens que entrega, tenta capacitá-las para que possam ultrapassar a situação em que se encontram. Um labor que, na perspectiva de Cafôfo, é a forma certa de encarar a pobreza.

Paulo Cafôfo referiu que a Madeira é a segunda região do país com mais alto risco de pobreza. A situação, do seu ponto de vista, tem que tem de ser solucionada a partir da base. As políticas não devem ser viradas para a caridade, mas sim para a oportunidade, criando-se “condições de emprego e de habitação”. Estes são dois pontos fundamentais para que, socialmente, as pessoas possam autogovernar-se.

O candidato considera que não faz sentido, no tempo em que estamos, que existam tantas necessidades, acrescentando, por isso, que preconiza uma aposta forte na criação de emprego e na habitação. “Nós temos de resolver os problemas da habitação nos 50 anos da Autonomia, ou seja, em 2026 temos de ter este desígnio de ter os problemas graves de habitação resolvidos”, defendeu. O candidato socialista quer pôr em prática um plano de intervenção para combate à pobreza e à exclusão social, desde a infância, às escolas e ao contexto familiar. «Se não tivermos este plano integrado, também não é possível reverter uma situação que nos envergonha a todos. É para isso que estamos na política, para resolver os problemas e tratar as pessoas como pessoas”.