CDU conclui em debate público que não basta estar empregado para sair da pobreza

A CDU promoveu hoje um debate público sobre as medidas estratégicas para a erradicação da pobreza, uma iniciativa inserida numa série de debates públicos temáticos que contribuirão para a construção do  Programa Eleitoral desta força política na Madeira. Deolinda Machado do “Movimento Erradicar a Pobreza”, analisou causas estruturais das desigualdades sociais, da pobreza e da
exclusão, na referida discussão pública. Também foram identificados mecanismos sociais e económicos que fabricam a pobreza na sociedade, refere um comunicado da CDU, que alerta que na Madeira, cerca de 32% da população vive em risco de pobreza.

Nesta iniciativa da CDU foram analisadas as desigualdades como resultado do modelo de  desenvolvimento concretizado pelos governos, na Região e no País.

Para além de outras intervenções, Deolinda Machado afirmou que cerca de 40% dos pobres são pessoas com emprego. Ou seja, não basta ter trabalho para sair da pobreza. E se há crescimento económico, aquele factor não tem conduzido à redução do número de pobres na nossa sociedade.

Neste debate da CDU foi ainda referido por Deolinda Machado que o Movimento Erradicar a Pobreza considera que a pobreza laboral é um problema político gravíssimo, mas que é possível resolver. “Requer medidas transversais associadas à urgência de um novo rumo para a economia e com compromissos de justiça social”, disse.