Alameda do Artista Madeirense “nasce” em Machico no Dia da Região, bustos de homenagem ao Homem e à Mulher marcam este 1 de julho

Forum Machico A
É amanhã que se dá o ponto de partida para a Alameda do Artista, desenvolvido em fases, mas fazendo do Forum um espaço virado para a cultura.

A Alameda do Artista Madeirense. É assim que se chama o projeto a lançar amanhã, 1 de julho, Dia da Região, em Machico, no edfifício do Forum. “É o resultado da vontade de homenagear os artistas regionais, Património Imaterial da Região Autónoma da Madeira e surge do sonho de ver nascer na cidade de Machico um grande local de encontro, de partilha e de homenagem ao talento regional, através de percurso pedonal urbano composto por medalhões em bronze, com respetivo suporte em betão coberto de cantaria cinzenta”.

Segundo uma nota sobre o assunto, “a primeira fase do projecto terá três etapas e acontece dia 01 de Julho, através da colocação de dois plintos com dois bustos de homenagem ao Homem e à Mulher Madeirense. Esses bustos ficarão em exposição no Atlanticulture Center, com um painel explicativo da iniciativa, que será lançado no dia da Região de 2019”.

Os promotores são a Atlanticulture, que pretende dar um novo impulso ao edifício do Forum e que está na origem do projeto de construção futura de uma unidade hoteleira naquele local, virada para um hotel cultural, a secretaria regional do Turismo, a Câmara de Machico e a Associação de Promoção das Artes, Cultura e Criatividade da Madeira e a APEL.

O estudo da ocupação do espaço encontra-se `à data a ser estudo com a responsabilidade a recair sobre um conceituado arquiteto regional, sendo brevemente apresentado em pormenor. “Aqui pretende-se desenvolver um Lugar para partilhar conhecimento e celebrar a memória, onde cabem todos os artistas de todas as artes, um espaço de liberdade, que reflete a alma e o talento desta Região”.
A mesma nota revela que “todos os trabalhos são coordenados pelo Escultor e Professor Luís Paixão e produzidos anualmente no âmbito do ano lectivo dos alunos de artes da Escola da Apel, sendo estudados no currículo escolar mensalmente a importância e história de cada homenageado, por ocasião da data de nascimento de cada um dos artistas selecionados (celebrando nesse mês através de programa especial no Atlanticulture Center) a vida de cada um.  As bases que suportam os medalhões em bronze vão retratar em texto uma breve biografia de cada artista, traduzido em três línguas, além do português, para que possa ser uma ferramenta de visitas de estudo, passantes e de todos os turistas que nos visitam”.
Em 2020 ocorre a segunda etapa do projecto, através da colocação de 20 medalhões em bronze de uma seleção de 20 artistas madeirenses, que serão colocados através de um percurso pedonal, no Dia da Região.
Em 2021 ocorre a terceira etapa do projecto, através da colocação de mais 20 medalhões de bronze de uma seleção de 20 artistas madeirenses, ficando concluída assim a primeira fase, com a Alameda a contar com 42 homenageados. A Partir daí o projecto entrará na segunda fase, em que caberá à Comissão de Honra de Curadores do Projecto a Escolha anual dos seleccionados.