Operação ferry começa a 8 de julho “sem ajuda do Estado”, lembra Pedro Calado no Parlamento

Pedro Calado2O vice presidente do Governo Regional considerou hoje, no Parlamento Madeirense, que “a oposição continua a adotar o show-off político. Este debate (mobilidade) é um pretexto para corresponder a uma necessidade do JPP. Tudo serve no debate desde que seja para criar notícias alarmantes. A verdade é que contrariamente às expetativas deste partidos, que disseram ser impossível esta operação, o Governo sempre defendeu esta operação e tornou esta linha uma realidade”.

Pedro Calado historiou todo o processo que levou à ligação marítima Madeira Continente, desde os concursos que ficaram desertos passando pelas “promessas não cumpridas pelo Governo da República”, obrigando a Região a manter a operação “ferry”, “que começa a 8 de julho sem ajuda do Estado”.

“Estamos aqui para fazer um trabalgo sério, ao contrário do que veio o JPP aquin fazer, apenas na estratégia política de angariação de votos. Nesta, como noutras matérias, o JPP não pode vir dar lições ao Governo, muito menos aos madeirenses.”

Élvio Sousa, o deputado do JPP, disse nesta sessão parlamentar que aborda o tema mobilidade, considerou a operação portuária como “uma das maiores borlas do sistema democrático, uma das maiores vergonhas da Autonomia. As autoridades regionais e o Governo Regional têm uma política protecionista em relação aos detentores do monopólio. Não temos nada contra os grupos económicos, apenas defendemos os interesses dos madeirenses. Nesta temática dos transportes, o Governo é cúmplice desta situação, os deputados da maioria são cúmplices também”.