CDU denuncia 45 milhões de euros metidos na produção de biocombustível no Porto Santo que “está posta de parte”

CDU eletricidadeA CDU/Madeira realizou nesta manhã uma iniciativa política sobre “Os Ácaros da Região” na Empresa de Electricidade da Madeira (EEM), ou seja, sobre “situações que configuram exemplos mais escandalosos de má aplicação dos dinheiros públicos e de práticas de corrupção política.”.

Junto às instalações das instalações da EEM no Funchal a CDU apresentou o que considerou como “um dos casos mais escandalosos de prática política corruptiva”. Como Edgar Silva declarou à Comunicação Social, «o Governo Regional da Madeira, em conluio com a EEM, em nome de um prometido projecto de produção de biocombustível no Porto Santo ali despejou cerca de 45 milhões de Euros. O objectivo era, através de micro algas, garantir uma alternativa energética para aquela ilha em 2009. Despejados os 45 milhões de Euros, já está posta de parte a produção de biocombustível. Segundo a EEM, e com o conluio do Governo Regional, em vez da biotecnologia, poderá passar a existir uma produção “de sabonetes”. Deste modo, estamos perante um dos casos mais clamorosos de corrupção política. Prometer uma “ilha verde”, justificar o uso de milhões de Euros para tornar o Porto Santo alternativo e com auto-suficiência energética e esbanjar mais de 45 milhões de Euros sem cumprir minimamente a finalidade a que estavam destinados os dinheiros públicos, trata-se, sem dúvida, de uma gigantesca fraude política.»

“A verdade é que para além de todos os incumprimentos dos prazos, repetidamente adiados ao longo de anos, para a conclusão do referido projecto, para além das falsas promessas do Governo Regional e das continuadas trapalhadas da EEM, disse Edgar Silva que «o defraudar do objectivo publicitado pelo Governo Regional de, através da produção do biocombustível marinho no Porto Santo, substituir até 2016 a dependência  do petróleo corresponde a uma das maiores fraudes políticas de que há memória na história da Autonomia».