Candidata do PSD-M promete fazer aprovar medidas para melhorar a saúde e qualidade de vida dos cidadãos

Cláudia 15 de maio de 2019 B«O nosso compromisso é que, tal como no passado, o PSD continue a apresentar, a defender e a fazer aprovar, no Parlamento Europeu, medidas concretas que de destinem aos cidadãos e que, neste caso, melhorem a sua saúde e qualidade de vida», salientou Cláudia Monteiro de Aguiar no âmbito da ação de campanha e durante uma visita ao M-ITI.

Cláudia Monteiro de Aguiar disse que «a investigação científica na área da saúde e a sua ligação à prática clínica para uma melhor saúde serão duas grandes prioridades do PSD na Europa», considerando que  «a associação entre a tecnologia e a saúde será, cada vez mais, fundamental para reforçamos tanto a prevenção como o combate às doenças do século XXI e, nessa ótica, é essencial que esta ligação venha a ser intensificada, no espaço europeu», disse a candidata, adiantando, na ocasião, duas propostas concretas que levará ao Parlamento Europeu: «se, por um lado, defendemos a elaboração do Plano Europeu de Luta contra o Cancro, iremos também trabalhar, junto da Europa, para que venha a ser criado um Centro Digital Europeu de combate a esta doença, no sentido de que tanto a prevenção quanto o tratamento desta patologia sejam iguais em todas as regiões europeias», frisou.

Europeias 2019

Medidas que a candidata social-democrata considera fundamentais para que a Europa lidere esta causa e se torne uma referência mundial, com benefícios diretos para todas as regiões e, neste caso concreto, também para a Madeira.

«Acreditamos que é na base da interligação entre a ciência, a tecnologia e a inovação que poderão ser encontradas novas respostas e novas soluções para os problemas que afetam a população, concretamente do ponto de vista da saúde», disse Cláudia Monteiro de Aguiar, esclarecendo que, para esse efeito, existem programas europeus que podem e devem funcionar de forma articulada, referindo-se à ligação entre o Programa Horizonte Europa (que, conforme definido há poucos meses, tem uma dotação de 120 mil milhões de euros) o InvestEU (sucessor do Plano Juncker) e, por exemplo, a Europa Criativa. «Três programas que nos permitem aliar a ciência, a inovação e a tecnologia à saúde», reforçou.