Albuquerque visitou hoje e elogiou qualidade do Lar de Santana

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, efectuou hoje uma visita ao Lar de Santana, uma oportunidade para “saudar calorosamente” os funcionários da instituição, desde o pessoal médico e de enfermagem e a todos os auxiliares e administrativos, pela componente humana que colocam no seu dia-a-dia, e que exige, certamente, vocação, referiu. “Nós podemos despejar milhões nas instituições e elas funcionarem mal”, admitiu Albuquerque, que salientou precisamente a necessidade desse humanismo e afectividade nas matérias de interesse social.

“Nós temos de ter carinho pelo que fazemos, e, quando trabalhamos com pessoas, temos de ter a capacidade de transmitir esse carinho e esse afecto, sobretudo aos nossos idosos”, referiu, considerando o Lar de Santana “exemplar”.

Referiu-se ainda às dificuldades dos governos em alocar cada vez mais verbas para o sector da Saúde e apoio social, mas que considerou, como noutras ocasiões já tem feito, de que se trata de uma consequência do progresso da sociedade, que garante uma vida cada vez mais longa à maioria das pessoas.

As pessoas “cada vez vivem mais tempo e com melhores condições de vida”.

“A esperança média de vida hoje é de 80 anos. Há poucos anos era de 60, e no início do século era 40”, sublinhou. A necessidade de verbas e estruturas para apoiar os nossos pais e avós, e nós próprios, na velhice tem a ver com isso, sendo um “sucesso das nossas sociedades” através da evolução dos medicamentos, dos cuidados preventivos e da alimentação.