Descendente de Tristão Vaz Teixeira é o rosto do “Basta” na Madeira

Miguel Tristão Teixeira dá a cara pela coligação do partido de André Ventura na Região. A coligação “Basta” (cujo principal partido é o Chega) é um dos 17 partidos/coligações às Eleições Europeias de 26 de maio.

Miguel Teixeira andou no colégio Nuno Alvares (Caroço). É empresário ligado ao ramo da floricultura.

FUNCHAL NOTÍCIAS: Quem é Miguel Teixeira?

MIGUEL TEIXEIRA: Sou décimo nono descendente directo de Tristão Vaz Teixeira. Conheço o Mundo, vivi em vários países, fui o primeiro guia de montanha em Portugal e na Madeira, posteriormente fui formador de guias de montanha, (nessa época fui chamado ao turismo que me preveniu que não gostava que eu andasse com turistas na serra). Ironia do destino, depois resolvi sair da Madeira e abraçar um grande projecto de flores tropicais em São Tomé e Príncipe, Brasil, Angola, Espanha e Portugal continental. Neste momento estou em pré-reforma e vou dedicar um ano ao Chega. Só em caso de muita necessidade assumirei a candidatura à Câmara de Machico, onde o meu pai foi presidente mas com o mandato interrompido pela revolução do 25 de Abril

FN: Porque decidiu abraçar o projecto Basta na Madeira?

MT: Resolvi abraçar o Projecto CHEGA, no ano passado, ainda o partido estava em fase de formação, o qual dei o meu contributo com a recolha de algumas assinaturas.

O discurso anti-corrupcão, anti-compadrios e anti-imigração ilegal, sobretudo o que esta a islamizar este país.

Conheci, a dada altura, o André Ventura e impressionou-me a sua frontalidade e reparei que o que pensa é o que diz. A sua grande preocupação com o trilho que Portugal está a tomar é suicida, estão à vista, não é necessário estar aqui a descrever um por um.

Prometi ao André Ventura que o ajudava a montar o CHEGA na Madeira, vim ao encontro de 2 dos seus antigos alunos, e estamos a organizar o Partido na Região. De momento já somos um pequeno grupo de mais de uma dezena de filiados, que reúne semanalmente com o intuito de por o CHEGA a funcionar.

A tentativa de adesão a este partido por ex-políticos, alguns de má fama, tem sido constante, mas muito frontalmente, têm sido afastados. Bevemente vai ser dada a conhecer esta estrutura. Esta semana estamos a tratar da vinda do André Ventura à Madeira para uma arruada e para um jantar comício, em princípio no dia 22 de maio.

Quanto à Madeira defendo a redução drástica do número de deputados e acabar com a palhaçada constante nesta Assembleia além de ser o que considero o instrumento de roubo legal que sofre a população o povo contribuinte. Defendo a saída de gente sem escrúpulos que estão no Governo Regional.