Mensagem do PS é que o 25 de abril chega a 22 de setembro à Madeira

As palavras são de Emanuel Câmara, o presidente da estrutura socialista madeirense e foram proferidas durante um almoço comemorativo do aniversário da Revoilução. «Abril vai acontecer na Região Autónoma da Madeira no dia 22 de setembro, quando, finalmente, o Partido Socialista, com Paulo Cafôfo, ganhar as eleições regionais», disse o líder do PS-M.

No mesmo local, Cafôfo estava em sintonia e dizia, a dado momento, que «o Partido Socialista está preparado para governar a Região Autónoma da Madeira». As mensagens fortes de um momento que juntou cerca de 400 pessoas, segundo números da organização. Paulo Cafôfo disse que o PS, coligado com a sociedade civil, «vai conseguir mudar as políticas desta região». «Temos um partido dinâmico, mobilizado, motivado, com ideias e com soluções. Não estamos sós. Temos a Madeira, temos o Porto Santo, temos esta gente e o povo com o Partido Socialista nesta mudança histórica em 2019», afirmou, recebendo fortes aplausos.

O candidato do PS-M à presidência do Governo Regional salientou que o partido está a colocar os madeirenses e os porto-santenses em primeiro lugar, com a construção de um projeto de proximidade. «O PS está a fazer bem à Madeira. O PS está a trazer uma lufada de ar fresco e democrático à Madeira e isso deve-se à nossa capacidade, mas também àqueles que connosco estão aqui e querem fazer parte desta mudança histórica», vincou, acrescentando que a vitória a 22 de setembro não será apenas do PS, uma vez que «ganhando o PS, vai ganhar a Madeira, vão ganhar os madeirenses». «Não é uma vitória do partido, é uma vitória do povo», acentuou.

O candidato referiu estar preparado para os desafios, adiantando que «temos uma nova geração de políticas para apresentar, reformas estruturais que são indispensáveis, temos medidas concretas e temos a gente certa para levar para a frente o desenvolvimento desta terra».

Cafôfo aproveitou também para dar conta de três grandes prioridades/desafios. O primeiro é o de termos uma região competitiva, com uma diversificação da economia, apostando em novas áreas – como a do mar –, mas também «valorizando aquelas que são as áreas tradicionais, que carecem de vontade política, determinação e capacidade, como é o turismo, que infelizmente está a definhar na nossa terra». «Criar oportunidades e acabar com monopólios e clientelas será claramente uma marca do Paulo Cafôfo e do PS no governo da Região Autónoma da Madeira», assegurou. Outra prioridade é a Educação, pois, considerou, «o sucesso de uma região está nas pessoas e na forma como elas, com a sua qualificação, poderão contribuir para o desenvolvimento desta terra». Por outro lado, apontou a Saúde como a principal prioridade, questionando «como é que se compreende que as listas de espera para consultas, exames e cirurgias estejam constantemente a aumentar?».

A um outro nível, explicando o porquê de avançar com a candidatura à presidência do Governo Regional, Paulo Cafôfo disse que é «um homem de causas». «Não vou virar as costas aos madeirenses quando os madeirenses me pedem para eu avançar. Não posso dizer não quando as pessoas me dizem para eu dizer presente», afirmou, acrescentando ainda que estará sempre no lado em que as pessoas querem a sua presença, «no combate difícil que é o combate de desenvolvimento desta terra, de acabar com um regime que não tem ideias e que está moribundo». «Acredito na Madeira e, acima de tudo, nos madeirenses. Somos nós todos que vamos, com certeza, com o povo, dar a volta a esta terra», finalizou.

Por seu turno, o presidente do PS-M “apelou ao trabalho e empenho diário de todos e considerou que «o PS tem de demonstrar, claramente, na RAM aquilo que já demonstrou nas câmaras onde somos poder desde 2013».

O líder dos socialistas madeirenses referiu que o primeiro grande desafio que temos pela frente é já a 26 de maio e salientou a importância de todos irem votar. Emanuel Câmara fez também questão de frisar que o PS credibilizou-se, não só na Região, como também na estrutura nacional, explicando que «não é por acaso» que o PS-M conseguiu o melhor lugar de sempre na lista para o Parlamento Europeu. Tal como declarou, se Sara Cerdas foi colocada em sexto lugar, é porque «a estrutura do PS a nível nacional e o nosso camarada António Costa acreditam