PSD anuncia que vai requerer a constituição de uma comissão parlamentar de inquérito à Unidade de Medicina Nuclear do SESARAM

Os deputados do PSD Madeira reagem às recentes denúncias de uma reportagem televisiva sobre o funcionamento da Unidade de Medicina Nuclear do SESARAM, nomeadamente na relação entre o sector público e privado, requerendo a constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Consideram os social-democratas que, perante as graves acusações referidas na reportagem, é “urgente clarificar os factos e apurar toda a verdade sobre o funcionamento” da dita Unidade.

Diz um comunicado do grupo parlamentar social-democrata que o Serviço Regional de Saúde assegurou, desde 2009, uma parceria privada para prestar um serviço que era inexistente na Região, tendo em conta o transtorno que representava para os doentes e famílias a deslocação ao Continente para os tratamentos de radioterapia. Mais tarde, em 2013, o SESARAM passou a ter disponível uma Unidade de Medicina Nuclear, licenciada em 2015 pela DGS, a qual iniciou acividade em 2017. Esta resposta permitiu que desde 2009 até 31 de Dezembro de 2018, tenha sido possível dar resposta a 4.558 doentes, o que corresponde a 116.438 tratamentos.

Porém, e na defesa do interesse público, não podem subsistir dúvidas e muitos menos suspeitas, sem um cabal esclarecimento de todos os factos e da eventual responsabilização das partes envolvidas, diz o PSD.