Porto Moniz reabre “Vereda das Voltas e Cruzinhas” entre o Fanal e o Chão da Ribeira

Foto DR.

A Vereda das “Voltas e Cruzinhas”, situada entre o Fanal e o Chão da Ribeira, freguesia do Seixal e Ribeira da Janela, no Porto Moniz, está oficialmente reaberta ao público depois de vários meses em obras de recuperação e beneficiação.

A Câmara Municipal de Porto Moniz, principal promotora desta obra, investiu 108.969€ na sua recuperação e requalificação, numa extensão de 4km, com início nas serras do Fanal, já na fronteira com o Paul da Serra, aos 1416 metros de altitude, e fim no Chão da Ribeira, a 280 metros de altitude, com um desnível de cerca de 800 metros.
Segundo uma nota de imprensa, as obras de beneficiação deste percurso incidiram na recuperação do percurso, nomeadamente reconstituição de degraus existentes em lajeado de pedra e basalto, requalificação das zonas de escadaria em terra, regularizando o pavimento com a formação de degraus em toros de madeira, recuperação de vários muros de pedra emparelhada e, acima de tudo, no aumento da segurança em todo o seu percurso, com a colocação de varandins em todas as zonas perigosas do percurso, bem como reforço da sinalética.
Emanuel Câmara, Presidente do Município do Porto Moniz, espera assim concretizar um dos seus objetivos, que consiste em aumentar o número de percursos recomendados no seu concelho. “Estamos perante mais um percurso que reúne todas as condições necessárias para que seja qualificado como um percurso pedestre recomendado, pelo que a Câmara Municipal do Porto Moniz vai desencadear todos os procedimentos nesse sentido, de forma a que este percurso, e outros dois, também eles alvo de obras de requalificação e beneficiação, passem a ostentar e a beneficiar dessa qualificação. O Porto Moniz, até ao momento e durante décadas, teve apenas dois percursos pedestres recomendados, mas agora vamos poder duplicar a oferta.”
Esta obra vai ao encontro da aposta do executivo do Porto Moniz, liderado por Emanuel Câmara, em potenciar as mais valias das serras do concelho e, em particular, o que a floresta Laurissilva traz e pode trazer para o concelho, como fator potenciador e dinamizador da economia local, que com as condições e ativos certos, seja criador de emprego no concelho. “Sabemos que felizmente somos beneficiados pelas condições que a natureza nos oferece, e sabemos que a nossa floresta Laurissilva, nos concelhos do norte, é o grande cartaz do turístico da ilha da Madeira. No entanto, ainda não conseguimos tirar o máximo de proveito desta potencialidade, ou seja, que estas características únicas que temos sejam o motor de desenvolvimento económico e social destes concelhos, que se traduza na maior fonte de criação de riqueza e emprego, no sentido de fixar população na Costa Norte e inverter a baixa natalidade e o êxodo rural que se verifica. É por isso que estamos a criar vários ativos no meio da nossa floresta, a requalificar e a criar novos percursos e novas atrações, para que no conjunto seja possível o desenvolvimento da economia verde e azul que tanto queremos”.
É exemplo disso as várias veredas do concelho, em particular estas três que agora serão reabertas, a nova pista de BTT com certificação internacional, que já se encontra em construção, o aumento exponencial verificado nos percursos de canyoning, a zona de lançamento de desportos aéreos, entre as clássicas levadas, caminhos reais e caminhos florestais, que aliados à aposta do Município no desporto, em particular no desporto de aventura e natureza, tem permitido um maior desenvolvimento deste potencial que é a natureza. “Sabemos o que temos e o que queremos, e por isso estamos a preparar o “catalisador” para atrair empresas ligadas ao turismo e ao desporto de natureza para o nosso concelho, que a seu tempo serão reveladas”, anunciou Emanuel Câmara.
Recorde-se que esta obra foi lançada no ano passado, juntamente com a “Vereda da Terra Chã” e a “Vereda da Cavaca,” que brevemente serão reabertas, e que no total tiveram um custo 263.420€ mil euros, sendo 85% desse valor apoiado pela União Europeia e 15% pelo orçamento municipal.
A reabertura oficial desta vereda “Voltas ou Cruzinhas” foi integrada no programa da ‘V Missão de Cooperação Eco-Tur’, que reuniu no Porto Moniz presidentes de câmara e vereadores de Canárias, Açores, Cabo Verde, Senegal, Mauritânia e Madeira, para um projeto que está incluído no Programa de Cooperação “MAC 2014-2020” (Madeira-Açores-Canárias), que pretende desenvolver ações e parcerias relativas à atividade do ecoturismo, entre os seus 17 parceiros.
O Porto Moniz é o único Concelho da Região Autónoma da Madeira com um projeto aprovado no Eco-Tur, tendo conseguido mais de 200 mil euros para investir no concelho, investimento canalizado para um Centro de BTT, na freguesia da Ribeira da Janela, que já se encontra em fase de construção e que permitirá à Região Autónoma da Madeira ter os primeiros trilhos de BTT com certificação Internacional.