Assembleia Municipal de Santa Cruz aprova voto de protesto contra a ACAPORAMA

A Assembleia Municipal de Santa Cruz aprovou hoje um voto de protesto contra o “Tratamento discriminatório e anti-democrático na tomada de posse da ACAPORAMA”.

Um comunicado à comunicação social refere que a Câmara Municipal de Santa Cruz cedeu o espaço da sua Casa da Cultura para a sessão solene da tomada de posse da Direcção da ACAPORAMA, a Associação das Casas do Povo da RAM, “no âmbito de uma cultura democrática de cooperação entre instituições e por reconhecer o trabalho desenvolvido pelas Casas do Povo”, e “fazendo fé que uma nova direcção da ACAPORAMA trouxesse às Casas do Povo a desejada isenção que deve presidir à acção daqueles organismos, no sentido de que os mesmos deixem, de ser, de uma vez por todas, braços armados do poder regional do PSD”.

Porém, lamenta-se que a prática verificada durante a sessão solene tenha tirado “qualquer esperança de uma possível viragem na actuação daqueles organismos, que continuam manietados e controlados pelo poder regional do PSD, nomeadamente em período de pré-campanha eleitoral”.

O voto de protesto manifesta-se contra a exclusão da Câmara Municipal de Santa Cruz, como anfitriã do evento, da mesa de honra e a sua representante silenciada; que não se tivesse cumprido o protocolo, que dá precedência à autarquia em eventos que decorram no seu território; e “que tudo isto tivesse sido rematado pelas declarações infelizes da senhora Secretária dos Assuntos Sociais, ao afirmar que as Casas do Povo são as legítimas representantes do povo”.

“Não, não são, mas a afirmação está em linha com o desrespeito institucional e democrático que o PSD e o seu Governo Regional têm pelas instituições e pessoas democraticamente eleitas, elas, sim, legítimas representantes do Povo”, referem os deputados eleitos do JPP.