Secretaria do Ambiente acusa Miguel Gouveia de “má fé” em declarações a respeito da ETAR do Funchal

A Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais veio hoje esclarecer as “as falsas declarações do vereador Miguel Gouveia a propósito da ETAR do Funchal”, referindo que, contrariamente ao que disse o autarca, “foi a Câmara Municipal do Funchal que, desde o primeiro momento, em 2015, considerou dois cenários para a construção da ETAR do Funchal, sendo a primeira hipótese no Jardim do Almirante Reis e a outra no vale do Lazareto”.

“Um ano depois”, prossegue o comunicado da SRA, “a Câmara do Funchal demonstrou interesse em deslocalizar a ETAR para o campo da Escola Secundária Jaime Moniz, terreno propriedade da Região”.

O Governo Regional assegura que, perante estas três hipóteses, manifestou que a opção do vale do Lazareto se afigurava como a mais adequada e que os 15% do total das despesas elegíveis do projecto, cuja responsabilidade financeira cabia à Câmara, seriam sempre assumidas pelo Governo Regional, independentemente da escolha da localização da ETAR, da inteira competência da autarquia.

“Entendemos, portanto, que só poderá ser com muita má fé que as declarações do vereador Miguel Gouveia são hoje proferidas”, conclui o comunicado.