Ambiente e Assuntos Sociais entre os temas hoje em debate na Assembleia Legislativa da Madeira

Fotos DR

As questões relacionadas com as áreas do Ambiente e dos Assuntos Sociais estão na ordem do dia hoje na Assembleia Legislativa da Madeira, com a comparência das secretárias regionais com estas pastas, Susana Prada e Rita Andrade, respectivamente, na discussão do Orçamento e Plano para 2018.

Susana Prada enumerou hoje uma série de medidas que pretende tomar, para diminuir o desperdício de água nas redes de abastecimento em 2019. Esta é, aliás, uma das suas principais preocupações, já várias vezes expressa. No ano que vem, o Governo Regional propõe-se investir dezoito milhões de euros a melhorar mais de cem quilómetros da referida rede e reservatórios. A governante não deixou também de referir uma série de acções que o GR tem empreendido na recuperação e limpeza florestais e na criação de faixas corta fogo. A secretária disse que em 2019 ficará também concluído o Programa da Orla Costeira do Porto Santo, sendo também lançado o da Madeira.

Susana Prada seria confrontada pela oposição com o número de mortes de turistas que se têm verificado em percursos em levadas da Madeira, mas defendeu-se referindo acções de recuperação de caminhos e veredas empreendidos pelo GR e que as medidas de segurança necessárias nem sempre são respeitadas pelos visitantes que se aventuram em percursos com algum grau de perigosidade.

Entretanto, Rita Andrade destacou o que a Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais pretende fazer relativamente à implementação de medidas sociais de apoio e combate à pobreza e exclusão. A SRIAS conta com quase 69 milhões de euros para acção social, o que representa um incremento de mais de trinta por cento em relação ao ano transacto.

No entanto, e apesar destes números, a governante foi confrontada pelos deputados oposicionistas com realidades duras, como a do desemprego na RAM, de famílias que vivem em condições infra-humanas e das dificuldades dos idosos, dos regressados da Venezuela e das altas problemáticas.