PS-M quer 5 milhões para resolver listas de espera para cirurgia na RAM

O PS Madeira anunciou que vai apresentar, através do seu grupo parlamentar, uma proposta para que o Orçamento Regional para 2019 contemple uma verba de 5 milhões de euros para responder ao problema das listas de espera para cirurgia.

O anúncio foi feito esta manhã pelo líder parlamentar do PS, Victor Freita,s numa conferência de imprensa, na qual considerou que o Governo do PSD “não fez da área da Saúde uma prioridade”.

Victor Freitas referiu que este é o último Orçamento deste Governo e que o PS tinha a expectativa que, em matéria de Saúde, existisse um incremento financeiro com o objectivo de resolver os problemas que “não resolveram em 2015, 2016, 2017 e no corrente ano de 2018, e que cumprissem com a palavra dada em 2019, com o reforço orçamental e com medidas políticas”. Porém, constata que isso não acontece.

O deputado socialista recordou que o Programa de Governo aprovado em 2015 estabelecia um tempo máximo de resposta garantido para os utentes do Serviço Regional de Saúde, em matéria de consultas, meios complementares de diagnóstico e cirurgias. “Dizia também o Programa que, para uma cirurgia, ninguém devia esperar mais de 6 a 9 meses para patologias menos exigentes e estabelecia como tempo máximo de resposta garantido 45 a 60 dias para patologias mais graves, nomeadamente as patologias oncológicas. Infelizmente, os prazos clinicamente aceitáveis provados cientificamente não estão a ser implementados na Região Autónoma da Madeira e o Governo não tem tomado medidas nesse sentido. Antes pelo contrário, através do PSD na Assembleia, tem chumbado todas as iniciativas que vão no sentido de criar tempos máximos de resposta garantida para os utentes do Serviço Regional de Saúde”, criticou Victor Freitas.

De acorco com o PS-M, há madeirenses em lista de espera para cirurgia há mais de 10 anos, algo inadmissível. Além disso, constatou que o cheque-cirurgia não foi implementado e que o Serviço Regional de Saúde continua a não ter capacidade de resposta para resolver o problema das pessoas que estão em lista de espera. Tal como referiu o deputado, quando este governo tomou posse, em 2015, a Madeira tinha cerca de 16 mil utentes em lista de espera para cirurgia, sendo que, em 2018, o número de pessoas nesta situação já ultrapassa as 18 mil.

Nesse sentido, Victor Freitas adiantou que, em sede de discussão do Orçamento Regional, o Partido Socialista irá apresentar uma proposta “com o objetivo de criar mecanismos para que o problema – que cada vez se agudiza e cresce mais – em matéria de utentes à espera de uma cirurgia comece de facto a ser debelado”. Por isso, declarou, “propomos neste próximo Orçamento um envelope financeiro de 5 milhões de euros” para contratação com outros hospitais públicos fora da Região (uma vez que o hospital da Madeira não tem capacidade de dar resposta às necessidades em termos de operações), e, quando estes não consigam dar resposta, em última instância, fazer contratos com os privados, no sentido de resolver estas questões.