BE Madeira vai à Convenção Nacional prometer uma “Autonomia diferente”

Paulino Ascensãol
Paulino Ascenção pede o voto no Bloco nas Regionais de 2019.

O líder do Bloco de Esquerda da Madeira Bloco defendeu hoje, na Convenção do partido que pretende “uma Autonomia diferente, para o Povo, emancipadora, que rompa com os históricos obscurantismo, miséria, com o fadário da emigração e que desmonte a ficção do inimigo externo”.

Diz Paulino Ascenção que “pela primeira vez há uma forte possibilidade do PSD perder o poder. Mas isso só não nos basta. Queremos uma rutura com a o enfeudamento da política aos negócios. Se um voto no BE ou no PS contam igual para derrotar o PSD, um voto no BE contam muito mais para um mudança efetiva de políticas”.

O líder do BE Madeira diz que “o PS afigura-se como provável eixo do futuro governo mas os grupos económicos mostram-se confortáveis com esse cenário.  Preocupa-os é o cenário de um governo com influência do Bloco de Esquerda! É inevitável confrontar o PS com a insuficiência das suas propostas. E isso não beneficia o PSD, mostra sim a radicalidade das propostas do Bloco e a importância de termos força para impormos mudanças efetivas”.

Paulino Ascenção refere que sair da Ilha é um pesadelo com “preços abusivos, cancelamentos … a culpa é do PSD que escolheu liberalizar e acabou com o serviço público (e tem o apoio do PS, CDS, JPP). O PSD aponta o dedo à TAP. Mas esta só abusa porque o PSD criou as condições que lhe permitem abusar. O nosso alvo é o PSD é a liberalização, não é a TAP! Se não há um hospital em condições é porque o PSD não quis, desbaratou milhões em obras inúteis e deixou a saúde num caos.