Barreto dá posse ao líder da concelhia dizendo que o Porto Santo tem condições para ocupar as 4 mil camas todo o ano

CDS Porto santo A
Esta é nova equipa do CDDS-PP Porto Santo com o líder regional Rui Barreto.

O CDS Porto Santo tem nova liderança depois de hoje ter sido eleito Miguel Matos líder da concelhia, com Rui Barreto presente na ilha e na posse.

Foi nesta posse que o líder do CSD-PP Madeira disse que o seu partido “quer dar valor ao Porto Santo, à joia mais antiga de Portugal”, lembrando a canção de Max, porque, acrescentou, “o Porto Santo tem potencial, é uma terra com sabores únicos e devem ser os portossantenses a dizerem o que querem para a sua terra, não precisam que sejam os madeirenses a virem dizer o que devem fazer”.

Na tomada de posse do novo presidente da comissão política concelhia do CDS Porto Santo, o líder regional do partido optou por um discurso em que valorizou sempre as gentes locais e as suas potencialidades.

Rui Barreto deslocou-se a Porto Santo munido de um caderno de encargos para apresentar às populações. Uma das propostas que o CDS tem vindo sucessivamente a apresentar ao governo regional nos últimos anos é a de um regime fiscal específico, para atrair empresas para os três concelhos da costa norte da Madeira e Porto Santo, nomeadamente uma descida da taxa de IRC de 21% para 15%, medida que ajudará a criar emprego e a gerar riqueza.

Já sobre as potencialidades turísticas do Porto Santo, Rui Barreto considera que se trata de um “sector relevante” e que há condições para manter ocupadas durante todo o ano as quatro mil camas existentes. “É preciso valorizar o turismo de saúde, o da talassoterapia, o turismo de mergulho e as atividades náuticas”.

Na saúde, a deslocação com “rapidez e eficiência” dos doentes do Porto Santo para o serviço regional de Saúde da Madeira é outro dos compromissos. “Aqui a questão dos transportes é muito importante porque são quase sempre pensados na perspetiva da Madeira para o Porto Santo e nunca o contrário”, afirmou, acrescentando que “é preciso assegurar o transporte de regresso à Ilha depois de as pessoas terem recebido tratamento na Madeira ou tratado dos seus assuntos.”

Os transportes aéreos são desde sempre um dos temas mais badalados e controversos. Rui Barreto diz não ser “admissível” que o contrato de serviço público, que “é assegurado pelo Estado ao abrigo da continuidade territorial, mas que vai de ajuste direto em ajuste direto sem uma decisão por concurso, vá garantir à empresa 5,7 milhões de euros, mas esta empresa continua a praticar preços elevadíssimos, como foi o caso da viagem deste fim-de-semana que nos custou 160 euros”, referiu, lembrando que a Binter está a fazer campanhas de promoção Madeira-Canárias-Lisboa a 70 euros.

Miguel Matos é, desde este sábado, o novo presidente da comissão política concelhia do CDS Porto Santo. Diz que aceitou candidatar-se porque “acredita no projeto e na dinâmica do Rui Barreto para o Porto Santo e a Madeira”. Afirma-se “empenhado em contribuir” com as suas ideias e trabalho na “solução dos problemas locais”, entende que chegou ao “momento de valorizar o potencial humano do Porto Santo” e enaltece “as potencialidades e as qualidades únicas” que a Ilha oferece no plano turístico. Fez uma ressalva: “Não contem com o CDS para a quezília política, tudo farei para elevar a discussão pública e as minhas energias serão focadas na solução dos problemas das nossas populações”, garantiu.