Afundamento da corveta foi presenciado por entidades civis e militares e proporcionou também animado convívio

Fotos: Rui Marote e Teresa Gonçalves

O afundamento da corveta “Afonso Cerqueira” no parque marinho do Cabo Girão, com o objectivo de criação de mais um recife artificial e ponto de atractividade turística para os amantes do mergulho na Região, foi assistido por numerosas entidades civis e militares da Região e não só, tendo servido também de pretexto para um animado convívio. O mesmo decorreu a bordo do navio-patrulha “Mondego”, que se encontra de serviço na Região e do qual, a uma distância seguro, foi possível testemunhar o afundamento da corveta, propositadamente preparada para o efeito por especialistas e mergulhadores da Marinha.

De representantes governamentais da Madeira e da Assembleia Legislativa Regional a autarcas, do representante da República na RAM a altas patentes do Exército e da Armada, a assistência foi ecléctica.