Cafôfo anuncia nova viatura este mês e obras no Quartel dos Bombeiros Sapadores

Bombeiros A
Cafôfo esteve na receção aos novos bombeiros que fizeram a primeira parte da recruta em Lisboa.

Chegaram ao Funchal os 31 novos bombeiros contratados pela Autarquia, este ano, depois de terem cumprido a primeira parte da sua recruta em Lisboa. Paulo Cafôfo e o restante Executivo camarário estiveram presentes na cerimónia de receção, no Quartel do Corpo de Bombeiros Sapadores do Funchal.

Uma comunicação da Autarquia lembra que “tal como ficou definido no ano passado, quando foi assinado um protocolo entre a CMF e a Câmara Municipal de Lisboa, a nova Escola de Bombeiros do Funchal contemplou seis meses de formação específica junto dos Sapadores lisboetas, incluídos no ano de duração previsto para a recruta, com os novos bombeiros a cumprirem, agora, a segunda metade do seu estágio na Região”.

Na oportunidade, Paulo Cafôfo anunciou que a corporação receberá, já este mês, a primeira de quatro novas viaturas, num investimento superior a 700 mil euros, e ainda a adjudicação de mais uma obra de beneficiação no quartel, no valor de 70 mil euros.

Paulo Cafôfo assinalou este momento de boas-vindas aos novos recrutas, sublinhando que “é com muito gosto e satisfação que vos recebemos aqui de volta na vossa casa, nesta que será uma nova etapa para esta instituição histórica do Funchal. Digo isto, pois os bombeiros são parte do corpo e alma da nossa cidade. Sabemos que o Funchal tem as suas especificidades, seja do ponto de vista climatérico, seja de orografia, logo os bombeiros são fundamentais para o conforto dos nossos cidadãos e para a segurança da nossa população.”

O Presidente recordou que “nos últimos anos, temos passado por diversas provações, no entanto, os nossos Bombeiros têm sabido sempre estar à altura, sendo esta também uma responsabilidade para nós, gestores desta cidade. É por isso que temos investido nos bombeiros, porque essa é a melhor forma de investir na segurança dos nossos cidadãos, seja através de questões que estavam por resolver, como um simples subsídio de alimentação a ser pago na integra, ou a adaptação de um regulamento interno já desatualizado, seja na aquisição de viaturas.”

O autarca enalteceu, por fim, que a corporação “não tinha qualquer novo elemento há 17 anos, demasiado tempo para uma cidade que tem as fragilidades que o Funchal tem, pelo que foi uma decisão acertada o facto de termos integrado nos nossos quadros todos os 31 finalistas do concurso que começou no ano passado. Estes novos bombeiros já começaram, de resto, a provar certa a nossa aposta, porque em Lisboa já foram considerados dos melhores recrutas do país.”