José António Castro denuncia “tentativa de pressão” de Menezes de Oliveira no funcionamento da Câmara do Porto Santo

IDALINO CAMARAO movimento “Mais Porto Santo”, liderado por José António Castro, veio hoje publicamente denunciar o que considera ser “o comportamento e a tentativa de pressão do vereador socialista Filipe Menezes Oliveira em questões que dizem respeito ao normal funcionamento da Câmara Municipal do Porto Santo”.

Castro passa ao “ataque” e diz que “o Dr.º Menezes de Oliveira continua a pensar que é dono do Porto Santo, que ainda é o presidente da Câmara Municipal e que pode dar ordens a torto e a direito, como lhe bem apetece, ofendendo, pressionando e criticando todos aqueles que estão à sua volta, como o fez ao longo de quatro anos de mandato, com os resultados que todos nós sabemos. Connosco, Mais Porto Santo, este tipo de atitudes, inaceitáveis e condenáveis, não funcionam e têm de ser denunciadas”, aponta José António Castro, líder do movimento de cidadãos independentes.

O assunto que deu origem a esta “posição de força” do movimento, prende-se com o que Castro classifica “acusações e críticas infundadas” do vereador socialista pelo facto do Mais Porto Santo “ter votado a favor da delegação de funções de representação  da autarquia porto-santense no vice-presidente, Pedro Freitas, por indicação do presidente, Idalino Vasconcelos”, declarações a que o Funchal Notícias fez referência.

José António Castro esclarece que “so contrário do que diz que o ex-presidente da Câmara, não passámos um cheque em branco ao PSD, viabilizámos uma proposta exequível, porque o nosso lema é trabalhar em prol do Porto Santo. Mesmo que possamos errar, vamos continuar a lutar pelo melhor da nossa Ilha, sem ressabiamentos e aprovando tudo aquilo que sentirmos ser importante para a melhoria da qualidade de vida dos porto-santenses. Já por diversas vezes criticámos e apontámos o dedo a actual Vereação, em discordância sobre várias matérias, sem a necessidade de nos coligarmos ou juntarmos aos socialistas, para quem é fundamental votar sempre contra. Aliás, fomos muitas vezes instigados pelo Vereador Menezes de Oliveira a recusar todas as propostas sociais-democratas. Mas não é essa a nossa forma de estar. Reafirmamos que, mesmo conscientes que não somos infalíveis, em primeiro lugar estarão sempre os porto-santenses, não o partido A ou B, muito menos os ressabiados”.