São Jorge recebe congresso “Memória e Futuro” a 16 e 17 agosto

A freguesia de São Jorge recebe esta semana o Congresso “São Jorge – Memória e Futuro” que decorre nos dias 16 e 17 de agosto de 2018, no auditório da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de São Jorge.

Conforme o Funchal Notícias já noticiou, a sessão solene de abertura está agendada para as 10h00 do dia 16 de agosto de 2018 e contará com a presença da Secretária Regional do Turismo e Cultura.

Entre os oradores convidados contam-se José Eduardo Franco, Nélson Veríssimo, Hélder Spínola e João Abel de Freitas.

O Congresso “São Jorge Memória e Futuro” tem como principais objetivos aproximar todos aqueles que mantêm uma ligação à sua terra natal, aproveitando as festas religiosas de verão, como ponto de encontro de famílias e amigos que, vivendo na diáspora, anualmente regressam à terra para matar saudades.

O evento será um espaço e um tempo para recordar histórias e tradições; cruzar saberes e experiências, em várias áreas: da história ao património, da religião ao artesanato, da música às tradições da nossa gente, entre outras.

A organização estará a cargo de um conjunto de pessoas da sociedade civil de São Jorge, que em comum têm o gosto pela sua terra e a vontade de juntar algumas figuras ilustres da nossa cultura num espaço de reflexão sobre a história da nossa terra e as suas perspetivas de futuro.

A ideia de realizar um congresso em São Jorge que juntasse não só alguns dos seus filhos mais ilustres, mas também algumas personalidades que abordassem um pouco da história da freguesia de São Jorge, enquanto freguesia matricial de todo o concelho de Santana e uma referência em toda a costa norte da Madeira ao longo dos últimos cinco séculos.

São Jorge, rincão florido, é terra de solos férteis e bonitas paisagens do mar à serra, onde se inclui parte da Floresta Laurissilva, classificada pela UNESCO como Património Natural da Humanidade.

Terra mãe, mantém uma feição ainda marcadamente agrícola. Durante vários séculos, a foz da sua ribeira foi também um importante entreposto comercial da zona Norte da Ilha da Madeira.

A Igreja Matriz, datada de 1761, é o orgulho das suas gentes. Terra de Cardeal e da Levada do Rei, de um moinho e de uma serra de água, de um farol e de encantadores miradouros.