CDS abordou com Ireneu Barreto uso do seu magistério de influência em diversos dossiers do interesse especial da RAM

A nova direcção do CDS-Madeira, encabeçada por Rui Barreto, apresentou hoje cumprimentos ao representante da República para a Madeira. Após o encontro com o juiz conselheiro Ireneu Barreto, o líder centrista disse que foram abordados assuntos importantes para a Região, na esfera do relacionamento entre a RAM e o Governo da República.

Entre os temas, para os quais o CDS entende que o representante da República pode ter alguma influência, e que foram discutidos na reunião, conta-se a construção do novo hospital. “Esperamos que no próximo orçamento de Estado essas verbas possam estar incluídas”, disse Rui Barreto.

Este responsável partidário referiu também a questão do subsídio social de mobilidade. Foi aprovada no parlamento regional, por unamimidade, uma resolução que foi confirmada na Assembleia da República, com o voto contra do PS. “Mas essa aprovação deve ter consequência e deve passar à realidade na revisão do decreto-lei, para que os residentes paguem apenas 86 euros, para os residentes, ou 65, no caso dos estudantes.

A Ireneu Barreto foram transmitidas também as preocupações do CDS face ao recente, e polémico, desempenho da TAP nos transportes para a RAM. No entender de Rui Barreto, a  TAP tem responsabilidades para com a Madeira, uma Região ultraperiférica mas que faz parte do todo nacional e depende do transporte aéreo.

Já relativamente ao Centro Internacional de Negócios da Madeira, o CDS considera-o um “instrumento importante e estrutural para o desenvolvimento da RAM”, e que “lamentavelmente, de quando em vez” tem sido vítima de “anátemas, que não têm levantado a confiança” no mesmo.