JPP aponta o dedo ao Governo Regional: prometeu baixar as listas de espera no hospital e “não cumpriu”

O JPP foi esta manhã ao Hospital Dr. Nélio Medonça para novamente alertar para uma promessa não cumprida deste Governo PSD: as listas de espera para cirurgias não baixaram, tal como acontece com as listas de espera para os exames complementares de diagnóstico e com as consultas de especialidade.

O deputado Élvio Sousa mostrou-se preocupado com esta situação considerada como um “desígnio social, que é dar melhores condições de saúde à população e aos utentes do Serviço Regional de Saúde da Região Autónoma da Madeira”.

“É uma contradição deste Governo pois este era um dos objectivos do Programa de Governo” que, ao invés de ser cumprido, agravou-se ainda mais, salientou.

O deputado reputa a situação de muito grave. “Apercebemo-nos de gastos excessivos, por exemplo, 30 milhões/ano para sociedades de desenvolvimento, 24 milhões para nomeados políticos, 218 mil euros/dia para as parcerias público-privadas (PPPs)”, sem responder às reais necessidades da população.

Outra situação que preocupa o JPP são os tempos médios de espera para as cirurgias que “no Serviço Nacional de Saúde são em média, de três meses, e na Região são de três anos”, segundo dados oficiais.

Esta é uma situação que merece um conhecimento aprofundado da situação, “de um diagnóstico que permita, efectivamente, ser capaz de propor, de dar contributos, o que deverá resultar da comissão de inquérito do SESARAM”.

Há um conjunto de inquirições que vão começar a decorrer nesta mesma comissão de inquérito, “infelizmente, mais de seis meses após a sua instauração” o que é considerada pelo deputado como uma “gravidade democrática na RAM” visto o decreto legislativo regional estipular um prazo máximo para a realização de um relatório que já foi ultrapassado”.