Cafôfo apresentou ecopontos denominados “Ilhas Ecológicas”

O edil funchalense Paulo Cafôfo, acompanhado de outros membros do seu Executivo, acompanharam durante a tarde de hoje a primeira apresentação pública das “Ilhas Ecológicas”, modernos ecopontos subterrâneos que a edilidade começou a instalar no concelho. A demonstração decorreu no Largo Jaime Moniz, um dos pontos beneficiados pelo novo sistema, e deu a conhecer publicamente o mecanismo pelo qual opera durante a sua manutenção e funcionamento, bem como os seus benefícios.

Paulo Cafôfo disse na oportunidade que, a par da apresentação dos novos contentores subterrâneos, “entramos agora numa nova fase na era da recolha dos resíduos selectivos na cidade do Funchal com a instalação destas seis “Ilhas Ecológicas”, também conhecidas como Ilhas Verdes. Estamos a falar de contentores subterrâneos destinados à recolha de depósitos sólidos no concelho, que têm impacto na imagem estética da cidade do Funchal, como produzem menos odores. Uma vantagem que, para além da maior capacidade, permite alcançarmos melhores taxas na reciclagem de resíduos”, explicou.

O presidente da CMF assegurou que o Funchal é um exemplo a este nível, pois, conforme disse, “estamos e mantemo-nos na frente na recolha dos resíduos. Este é um investimento de 365 mil euros, nestas primeiras seis ilhas, sendo que está já a decorrer o novo concurso para a aquisição de doze novas ilhas, todas para o Bairro da Nazaré, que ficará completamente coberto com este novo sistema. A nossa opção passou por ponderar locais onde existe restauração, pontos turísticos e em grandes áreas residenciais, como é o exemplo do Bairro da Nazaré. Hoje entramos numa nova fase na recolha de resíduos selectivos do Funchal”, finalizou.
A aquisição e instalação das “Ilhas Ecológicas” consubstancia a aposta da CMF numa solução para aumentar a capacidade de depósito de resíduos, incentivar o aumento da taxa de reciclagem, reduzir a poluição ambiental e requalificar os espaços urbanos. Associado aos benefícios está ainda uma redução de custos do Município ao nível da recolha de resíduos e uma manutenção mais eficiente.

A nova solução consiste no alojamento de contentores subterrâneos na via pública, sendo que cada “Ilha Ecológica” compreende três contentores diferenciados para papel, embalagens e vidro (os dois primeiros de cinco metros cúbicos e o último de três metros cúbicos). Os equipamentos estão ainda dotados de sondas de níveis de enchimento e tecnologia de medição ultrassónica, com comunicação de dados para um sistema central, que permite aferir, em tempo real, o nível de saturação e determinar o dia e hora das recolhas com base no seu histórico, explica a Câmara.

Neste momento, o Funchal dispõe de seis Ilhas Ecológicas em pleno funcionamento, ou seja, 18 contentores dispersos pelo Lido, Avenida Arriaga, Largo Jaime Moniz, Almirante Reis e pelo núcleo histórico da cidade, junto ao Hotel Porto Santa Maria. As 12 próximas ilhas a adquirir serão instaladas no Bairro da Nazaré.