PS-M quer audição parlamentar a Jorge Carvalho para explicar fusões das escolas

O grupo parlamentar do PS-Madeira anunciou que vai apresentar hoje um pedido de audição parlamentar ao secretário regional de Educação, Jorge Carvalho, para explicar a questão das fusões de escolas na Região.

A deputada Sofia Canha criticou o facto de, num momento em que as escolas já deveriam estar a preparar-se para o próximo ano letivo, estarem a ser surpreendidas com a informação das fusões. “Ao contrário do que diz o senhor secretário regional de Educação, as escolas e as suas direcções não foram ouvidas, os encarregados de educação não foram tidos nem achados, as autarquias não foram consultadas sobre esta matéria, sendo que sobre elas recaem algumas responsabilidade”», afirmou a parlamentar socialista, considerando que esta atitude de Jorge Carvalho revela “um desrespeito pelos órgãos próprios das escolas, com autonomia administrativa e democraticamente eleitos, começando desde logo pelo conselho da comunidade educativa e direcção executiva”.

De acordo com Sofia Canha, o que de facto o secretário regional “parece querer fazer é extinguir direcções das escolas”. “Que critérios subjazem a estas fusões? O senhor secretário precisa clarificar a população sobre este assunto, para que não seja surpreendida no futuro”, sustentou.

A deputada do PS-M dá conta de que há uma escola de 1.º, 2.º e 3.º ciclos com 40 alunos que não é fundida e, por outro lado, escolas com mais de 200 discentes que o são. “Temos escolas com órgãos de gestão democrática e legitimamente eleitos que são fundidas e escolas prestes a despoletar o processo eleitoral que o são também. Temos escolas que vão fundir com uma escola de outro concelho. Exige-se, portanto, que o senhor secretário venha explicar aos pais e população em geral as razões destas fusões e extinções, a falta de diálogo com as partes, a tomada de decisão unilateral», refere a deputada. Sofia Canha desafia também Jorge Carvalho a explicar aos habitantes do Curral das Freiras, que acreditavam ter uma escola de referência, com qualidade educativa e projecto educativo de sucesso, que agora os filhos vão ficar integrados noutra escola”

Assim, os deputados do PS-M vão pedir uma audição parlamentar ao secretário regional de Educação para explicar quais as suas intenções, quais os números reais, que impacto é que estas fusões têm em todas as comunidades educativas, bem como qual a razão de transferir a gestão administrativa de uma escola de um concelho para outro.