JPP considera existir falta de limpeza e desobstrução nos ribeiros

O partido JPP mostrou-se hoje preocupado com o processo de limpeza e recuperação paisagística das zonas altas, que neste momento estão a ser alvo de intervenção por parte do Instituto de Florestas e Conservação da Natureza e da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais.

“Existe, nestas localidades, no leito dos ribeiros adjacentes, com ligação à principal ribeira de João Gomes, um conjunto de vegetação marginal que é preciso eliminar. A lei obriga a essa desobstrução, que deve ser feita nesta fase. Mas o que vemos é que os ribeiros estão todos atafulhados”, alertou Carlos Costa, em conferência de imprensa, na zona do Curral dos Romeiros.

Este parlamentar do “Juntos pelo Povo”  recordou, a propósito, que o estudo de avaliação de riscos de aluviões da Madeira, numa segunda fase divulgada este ano, vem precisamente chamar a atenção para a importância de eliminar o volume de material existente nas cabeceiras, nas encostas e nos leitos das ribeiras.

“A limpeza e remoção dos eucaliptos não está a ser feita com o cuidado necessário”, acusou Carlos Costa, acrescentando que é preciso que o Instituto de Florestas e Conservação da Natureza actue nesse sentido junto das empresas que estão a efectuar este trabalho, para evitar que em caso de precipitação esse material seja arrastado pelas ribeiras, até às zonas residenciais.

Carlos Costa considera que “é preciso fazer a limpeza das serras e a remoção da regeneração das espécies invasoras e depois é preciso passar ao processo de reflorestação e criar um conjunto de medidas preventivas”.