Câmara do Porto Santo não apoia ida da Ginástica Acrobática aos nacionais, Grupo Sousa assume custos

Porto santo camara
A Câmara felicita os jovens pelos resultados obtidos mas alega falta de “dotação orçamental” para recusar o apoio à deslocação da Ginástica Acrobática aos nacionais.

A Câmara Municipal do Porto Santo, liderada por Idalino Vasconcelos, decidiu não manter o apoio dado pelas anteriores gestões autárquicas no que se prende com a participação nacional dos jovens da Ginástica Acrobática, uma modalidade praticada no âmbito do Desporto Escolar, na Escola do Porto Santo. Os jovens representam a ilha e a Madeira no seu todo, nos nacionais que decorrem em Viseu entre 17 e 20 de maio. O Funchal Notícias apurou que o Grupo Sousa já assumiu o custo dessa deslocação.

O anterior presidente, Menezes de Oliveira, mostra-se descontente com a decisão de Idalino, referindo que “a aposta deveria ir no sentido de apoiar os jovens do Porto Santo na prática de uma modalidade que dignifica a juventude, toda a ilha e toda a Região Autónoma”. Menezes de Oliveira refere, ainda, que esta realidade “mostra a falta de sensibilidade da Câmara” perante uma realidade que “merecia outra atenção”, lembrando que em anos anteriores “sempre demos o apoio, com a colaboração da escola, porque considerámos uma prática importante, que além de fomentar a atividade desportiva, ainda dá títulos ao Porto Santo”.

O Funchal Notícias soube que, na sequência do “não” de Idalino à solicitação da Escola, o próprio vereador do PS, Menezes de Oliveira, terá estabelecido alguns contactos tendentes a encontrar uma solução, sendo que, neste momento o Grupo Sousa, de acordo com o que o FN apurou, já assumiu a concessão do apoio à deslocação daquele grupo de jovens aos nacionais.

O ex-presidente da autarquia diz que “era importante fazer alguma coisa para que esta participação acontecesse”, sublinhando não compreender que “razões de ordem economicista se sobreponham à relevância que estes jovens têm em termos de conquistas verificadas ao longo dos anos”.

A questão dos apoios coloca-se, neste momento, com a participação nacional de seis praticantes, campeões regionais, em cinco grupos, designadamente pares mistos, pares masculinos e pares femininos, além da modalidade de trio. O valor em causa representa cerca de quatro mil euros, envolvendo a participação de seis praticantes mais um acompanhante. O grupo é orientado pelos professores Bruno Santos e Isabel Sousa.

Relativamente a esta situação, o gabinete de Idalino Vasconcelos esclarece que “a Câmara Municipal do Porto Santo não pode acolher todos os apoios que são solicitados,e  são muitos”, sendo que, neste caso particular, “a autarquia não conseguiu garantir os apoios por não haver cabimento orçamental”, dizendo que “os tempos dos dinheiros gastos sem contenção já passaram”.

A mesma nota refere ainda que “no caso da deslocação da Ginástica Acrobática, o presidente Idalino Vasconcelos tinha um grande empenho em colaborar, mas não o podia fazer à da gestão da Câmara”.

O FN teve acesso a duas respostas dadas pela Câmara do Porto Santo ao conselho diretivo da escola, relativamente a solicitações de apoio. Uma referente à deslocação da Ginástica Acrobática a Viseu, em que a autarquia diz que “não existe dotação orçamental”, referindo ainda que “esta despesa costuma ser assumida pela SRE ou pela própria escola”,felicitando os jovens  e o estabelecimento de ensino “pelos resultados obtidos”, e outra com um sim, relativamente à deslocação de alunos ao Funchal, sublinhando que tem “dotação e fundos disponíveis”.