Veja o que disse Miguel Albuquerque após o encontro com Rui Rio (vídeo)

O presidente do PSD-Madeira, Miguel Albuquerque reuniu-se hoje com o presidente nacional do partido, Rui Rio.

Segundo uma nota de imprensa, Miguel Albuquerque afirmou que as declarações do Primeiro-ministro sobre o agravamento do défice nacional, devido à Madeira, resultaram “num tiro no pé”.

Após uma reunião, em Lisboa, com o líder nacional social-democrata, onde foram abordadas as questões que estão pendentes entre o Estado e a Região, Miguel Albuquerque sublinhou que aconteceu “exatamente o contrário” do que foi afirmado por António Costa.

“Segundo os dados da execução orçamental, a Madeira apresentou um superavit e não contribuiu para o agravamento do défice nacional, antes pela diminuição”, disse.

Quanto às questões pendentes com a República, o presidente do PSD/M afirmou que se “trata de justas reivindicações da Região”, a qual aguarda pelas soluções.

A começar pelo diferencial da taxa de juro, estando a Região a pagar, no empréstimo contraído ao nível nacional, “uma taxa de juro excessiva e absurda e o que nós reclamamos é que essa taxa seja reduzida para os montantes equivalentes àquilo que o Estado paga pelos seus empréstimos externos”.

Há também a questão do acerto das dívidas do Estado ao SESARAM, ao nível dos subsistemas de saúde, cujo dinheiro tem sido adiantado ao longo dos anos pela Região, e ainda da concretização do novo hospital da Madeira, em relação ao qual “a participação do Estado continua a ser adiada”.

A revisão do subsídio de mobilidade foi outro assunto tratado nesta reunião que aguarda “há muitos meses para ser concluída”.

Questionado pelas jornalistas sobre as próximas eleições regionais, Miguel Albuquerque disse esperar vencer com maioria absoluta. “Temos sempre a humildade de ir para as eleições com o sentido de interação com a nossa população. Eu acho que é importante esclarecer quais são as políticas que foram concretizadas e aquilo que foram, na verdade, promessas cumpridas. Vamos voltar a fazê-lo. Falta mais de um ano e meio para essas eleições, mas estamos convencidos de que vamos concretizar todos os compromissos que assumimos com a população a Madeira e vamos conseguir vencer as eleições com nova maioria absoluta”.

Isto, apesar de o PS e “a esquerda em geral” estarem a “utilizar o Estado e as suas instituções no sentido de concretizar um objetivo político, que é ganhar as eleições regionais”.