A 15 dias da Páscoa, praia do Porto Santo com calhau a mais e sem máquinas no terreno para proteger cartaz turístico

Com Rui Marote, no Porto Santo

Fotos Rui Marote

Não podemos dramatizar mas a quinze dias das férias da Páscoa, o Funchal Notícias percorreu a praia da Ilha Dourada, desde o Centro de Saúde até ao Hotel do Porto Santo, e não avistou vestígios de máquinas e trabalhadores na recuperação da praia.

Sim senhor, é preciso trabalhar… É este o slogan!

A praia foi martirizada pelo recente temporal, principalmente entre as casas das lanchas, junto ao Centro de Saúde, até ao restaurante Pé na Água.

Muitos inertes cobrem o areal nesta extensão. Mas o mais grave foi a destruição das dunas nesta área. As imagens do FN falam por si.

A força do mar arrancou a sustentação das dunas. Ou seja, a vegetação de arbustos que protegia a mesmas dunas.

Foram destruídos acessos ao mar e vedações das vinhas junto às dunas.

Há muita lenha para recolher… embora a pedra fosse um bem precioso para construção civil, entendem os peritos nessa área que não deve ser recolhida mas sim mandada para o mar porque é a sustentação do areal.

Contudo, nos contactos efetuados pelo Funchal Notícias, alguns portossantenses disseram que há coisas no Porto Santo mais importante que a praia…

Outros defendem que as máquinas já deveriam estar no terreno a repor as dunas e iniciar a plantação de cedros e bálsamos, repondo a vegetação que o mar escavou.

Mas tudo retarda. Os turistas das férias da Páscoa estejam descansados. Ainda há muita praia para fazer as delícias entre o hotel do Porto Santo, Luamar, até à Calheta.

Os comerciantes estão apreensivos com a propaganda negativa mas alertam as entidades que já deveriam ter tomado medidas.

Veja mais foto na nossa página do facebook.