Lopes da Fonseca sublinhou ontem papel da mulher na sociedade madeirense

O presidente do CDS, António Lopes da Fonseca, salientou na noite de ontem, na companhia do vice-presidente Rui Barreto e de Carla Baptista Freitas, deputada na Assembleia Municipal do Funchal, o papel da mulher na sociedade portuguesa e madeirense.
Num encontro que contou com a presença de duzentas mulheres, militantes e simpatizantes do CDS, Lopes da Fonseca lamentou que a diferença salarial entre homens e mulheres tenha aumentado o fosso, nos últimos anos, quando o esperado era que essa desigualdade tivesse diminuído.
A violência doméstica e o facto de Portugal ser um dos países com o maior índice europeu a esse nível, com o senão de as estatísticas colocarem a Madeira como  a Região do país com a maior taxa, levou o dirigente a dizer que mais do que palavras são precisas decisões, refere uma nota do partido.
Porém, nem tudo é negativo. António Lopes da Fonseca apontou o facto de em cada cem portugueses com habilitação académica 60 serem mulheres. Nas lideranças, as mulheres também começam a recuperar terreno merecido, porque mais habilitadas. O líder centrista deu como exemplos os casos de Assunção Cristas, Élia Gouveia, vice-presidente da Câmara de Santana, e Sara Madalena, vereadora na Câmara da Ponta do Sol.