Susana Prada abordou estratégia para as alterações climáticas no arquipélago

A secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada, esteve hoje na iniciativa “Encontro da Comunidade de Adaptação”, na urbe funchalense, para falar da estratégia da RAM para resistir aos efeitos das alterações climáticas. Susana Prada considerou, na abertura destas jornadas, que não há como ignorar o facto de que estas alterações existem e que os seus efeitos têm de ser enfrentados, um pouco por todo o mundo, não sendo excepção a Madeira. O certo é que há que ter medidas para reagir aos efeitos adversos.

A governante salientou que não há como negar os dados científicos que apontam para a realidade desde tipo de alterações, desde 1850 até agora. A situação resulta em “alterações no padrões climáticos e nos ecossistemas”, aumentando o ritmo a que se registam fenómenos extremos como grandes chuvas ou secas. Também o mar não deixa de subir em certas zonas críticas.

Na Madeira, a temperatura aumentou, desde 1960, cerca de um grau centígrado, que pode não parecer muito mas tem consequências, e o nível da água do mar subiu aproximadamente 20 centímetros, revelou. Até ao final do século, estima-se que o nível do mar suba meio metro e a temperatura aumente entre 1,3 e 3 graus centígrados na RAM.

Das medidas implementada na estratégia governamental de reacção às alterações climáticas, mais de metade das mesmas já tem aplicações no terreno, disse a governante.

%d blogueiros gostam disto: