O Estado deve assumir os custos da mobilidade marítima, esta é uma questão que Albuquerque leva ao Congresso do PSD

miguel albuquerque flores jardim quinta vigia
Miguel Albuquerque vai ao Congresso do PSD defender a matriz autonómica para o partido.

Miguel Albuquerque, presidente do PSD-Madeira, leva ao Congresso nacional do partido, a decorrer entre 16 e 18 de fevereiro, em Lisboa, algumas das questões que considera pendentes com a República, posição que visa sensibilizar o novo líder, Rui Rio, para o futuro.
Albuquerque, subscritor de uma moção, vai defendê-la com uma posição marcadamente autonómica. Pretende que “o PSD nacional assuma a questão autonómica como uma questão matriz do partido contra uma esquerda cada vez mais centralista e que tem da Autonomia apenas uma noção retórica”.
Os pontos chave que Albuquerque leva a Lisboa são a “coesão económica e social. Temos a questão da mobilidade aérea, da assunção de custos que devem ser assumidos pelo Estado, a alteração da Lei de Finanças Regionais, qual a base da reforma fiscal no âmbito das Regiões Autónomas, a mobilidade marítima e quem deve assumir os custos, como acontece com Canárias em que o Governo espanhol assume parte. O Estado português acha que os madeirenses não devem ter essa benesse. Não basta anunciar, é preciso praticar. O Dr. Rui Rio tem que apresentar uma alternativa a esta maioria de esquerda”.