Amílcar Gonçalves visita obras na escola do Porto Santo a 1 de fevereiro

O secretário regional dos Equipamentos e Infraestruturas, Amílcar Gonçalves, visita, a 1 de fevereiro, a obra de requalificação da escola básica e secundária Francisco Freitas Branco, no Porto Santo.

Os trabalhos, iniciados a 8 de janeiro, implicarão uma renovação quase total do estabelecimento escolar, mantendo-se apenas as fachadas.

A empreitada inclui, ainda, a retirada do amianto da cobertura das escolas, a ser feita por empresa devidamente certificada, de acordo com o que está definido na legislação.

Na oportunidade, Amílcar Gonçalves vai reunir com os encarregados de educação dos alunos da escola, a quem explicará todos os pormenores da obra, incluindo prazos e condições de segurança extremas em que funcionará a empreitada. Desde a retirada do amianto à execução da obra, tudo será feito segundo os mais exigentes cânones de segurança.

Os trabalhos deverão ficar concluídos em junho de 2019 e têm um custo de cerca de cinco milhões de euros.

A infraestrutura escolar localizar-se-á no terreno onde funciona a atual escola, que tem uma área de 17.000 m2 sendo um dos espaços exteriores escolares da Região Autónoma da Madeira com mais área de pátios e jardins. Este complexo irá abranger os espaços necessários para assegurar a frequência dos alunos do Básico do 2.º e 3.º Ciclos e do Secundário da atual escola do Porto Santo.

O edifício, após a ampliação, ficará com um total de 6.411,5m2, um polidesportivo com bancadas que ocupará cerca de 1.300m2 e uma área de exteriores de 12.300 m2

Esta intervenção, que será feita de forma faseada, permite que a escola mantenha as suas funções letivas durante as obras, com mínimas perturbações ou constrangimentos, situação que não ocorreria se houvesse necessidade de recorrer a demolições e posteriores reconstruções.

A construção será dividida em duas fases, sendo que na primeira fase serão remodelados o bloco 3 e o bloco 4 e será construído um novo polidesportivo com as dimensões de 44x22m.

Na segunda fase da obra os blocos 1, 2 e 5 serão alvo de intervenção, sendo a interferência mais significativa ao nível do bloco 2, com a ampliação do corpo por forma a serem criados novos gabinetes e serviços de apoio (papelaria).

A cobertura de todo o edifício escolar, em chapas de fibrocimento, será desmontada com cuidados especiais e por entidade competente para o trabalho de remoção.

Todos os vãos exteriores do edifício serão substituídos com vista ao cumprimento do regulamento térmico.

Todas as instalações sanitárias da escola serão na totalidade recuperadas. Os balneários serão ampliados e remodelados na totalidade.

A cozinha e o refeitório serão alvo de uma profunda remodelação por forma a melhorar a funcionalidade de toda a área. Serão disponibilizados novos bares para alunos e professores