Cidadão finlandês foi encontrado morto no Funchal em circunstâncias estranhas; família está chocada

Um cidadão finlandês desapareceu sexta-feira à noite no Funchal. E entretanto, segundo avançou hoje o Diário de Notícias do Funchal, foi encontrado morto. O Funchal Notícias também foi contactado pela esposa de Ari Ahonen, 35 anos de idade, que buscava algum tipo de notícia sobre o seu marido, mas fomos incapazes de ajudar. A esposa,  Jenni Heiskanen, encontra-se grávida, pelo que terá sido com dor acrescida que recebeu a notícia da morte do esposo, cujo corpo foi reconhecido pelo cunhado do falecido, que viajou ontem para a Madeira.

As circunstâncias da morte são estranhas, mas o Diário avançou a tese de que o cidadão finlandês encontrar-se-ia embriagado, segundo dizem testemunhas. Encontrava-se hospedado no hotel Dorisol Estrelícia. Segundo declarou a sua própria esposa, o mesmo terá deixado o seu filho de sete anos, com o qual viajou para o Funchal, no hotel. A esposa referiu que o filho estava a cargo de guias turísticos, enquanto o irmão de Jenni Heiskanen não chegou ao Funchal.

O finlandês foi deixado por um táxi na zona da Ajuda e não perto do seu hotel. A razão para tal não se encontra esclarecida. Pode ter tido a ver com o suposto estado de embriaguez do homem. Mas levanta algumas suspeitas.

A tese actualmente avançada na imprensa regional é a de que o homem pode ter-se desequilibrado e caído de um muro na zona da Ajuda, fracturando a coluna.

A esposa disse ao Funchal Notícias que o marido tinha o telefone desligado e que era impossível contactá-lo, o que desde logo suscitou grandes preocupações.

O cadáver de Ari Ahonen encontra-se actualmente a aguardar autópsia no Funchal.