Instituto das Florestas passa a ter um presidente e dois vogais

Foto Rui Marote.

Foi publicado hoje em Diário da República o Decreto Legislativo Regional que promove a segunda alteração ao diploma de maio de 2016 que cria o Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, IP-RAM e extinguiu a Direção Regional de Florestas e Conservação da Natureza e o Serviço do Parque Natural da Madeira.

Na prática o diploma alarga de dois para três os membros do conselho diretivo do Instituto das Florestas. Em vez de haver um presidente e um vice-presidente passa a existir um presidente e dois vogais.

“Decorrido mais de um ano desde a criação do Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, IP-RAM, constatou-se que diante das inúmeras atribuições cometidas àquele Instituto, bem como do elevado volume de trabalho do mesmo, a atual composição do conselho diretivo encontra-se desajustada com consequentes implicações para a eficiência e eficácia do Instituto”, justifica o diploma que foi aprovado na Assembleia Regional três dias antes do Natal e promulgado por Ireneu Barreto a 5 de janeiro último.

O conselho consultivo daquele Instituto, também sofreu ajustamento “tendo em vista o aumento da sua operacionalidade”.

O diploma entra amanhã em vigor.

O atual titular do cargo de presidente do Conselho Diretivo do IFCN, IP-RAM mantém a respetiva comissão de serviço.

O atual titular do cargo de vice-presidente mantém a atual comissão de serviço e transita para o cargo do mesmo nível que lhe sucede de vogal do Conselho Diretivo.

Leia mais em https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/114513613/details/maximized