16,9% das farmácias da Madeira em situação de penhora e insolvência

De acordo com uma informação prestada pela Associação Nacional de Farmácias, 16,9% das farmácias da Madeira encontram-se em situação de penhora e insolvência.

A nível nacional, mais de um quinto das farmácias portuguesas, 21,4 por cento, entrou em 2018 na mesma situação, enfrentado processos de insolvência e penhora, refere a ANF.

No distrito da Madeira, 16,9 por cento das farmácias entra em 2018 numa situação de crise económica, sem garantias de sobrevivência. A crise agudizou-se em 2017, estando agora 630 farmácias num universo de 2.943 em situação económica difícil, de acordo com o barómetro MOPE, do Centro de Estudos de Avaliação em Saúde (CEFAR). Na Madeira são 11 as farmácias em dificuldade, refere o comunicado de imprensa.

“A economia portuguesa tem dado passos em frente, mas as farmácias continuam a viver num clima de crise e austeridade”, declara Paulo Cleto Duarte, presidente da Associação Nacional das Farmácias (ANF).

As farmácias são a maior rede de serviços de saúde em Portugal e a melhor distribuída pelo território. “Apesar das dificuldades, os farmacêuticos e as suas equipas vão continuar a lutar para continuar a oferecer às populações mais isoladas acesso aos cuidados de saúde”, declara o presidente da ANF.