Nós, Cidadãos! quer compostagem a funcionar na Região

O partido “Nós, Cidadãos”, veio recordar em comunicado de imprensa que que esta semana realiza-se, em Paris, a chamada “One Planet Summit” (Cimeira do “Planeta Único”), uma iniciativa do presidente francês, Emmanuel
Macron, que visa impulsionar concretamente projectos ligados à luta contra as alterações climáticas, conciliando-os com um desenvolvimento sustentável que satisfaça as necessidades do presente mas sem comprometer as gerações vindouras de também satisfazerem as suas.
“Ora, na Região Autónoma da Madeira, no momento em que o efeito das festividades natalícias é já evidente na sociedade madeirense, e numa altura em que a quantidade de lixo produzido tende a aumentar, o NóS, Cidadãos! alerta para a necessidade urgente do Governo Regional da Madeira reactivar a estação de compostagem de resíduos orgânicos existente na Meia Serra.
Apesar dos resíduos sólidos urbanos produzidos na Madeira serem constituídos em cerca de 45% por orgânicos, materiais putrescíveis passíveis de ser reciclados através do processo de compostagem para produção de composto, um correctivo orgânico aplicável na agricultura, jardinagem e recuperação de solos, o Nós, Cidadãos! estranha que o Governo Regional da Madeira mantenha encerrada há vários anos a instalação que permitiria este
tipo de tratamento”, refere uma nota de imprensa.
Inaugurada em 2004 em conjunto com o sistema de incineração, a Instalação de Compostagem funcionou por pouco tempo, deixando de garantir destino para a recolha selectiva de resíduos orgânicos e, dessa forma, comprometendo a evolução positiva das taxas de reciclagem na RAM.
O NÓS, Cidadãos! lamenta que, na prática, a promessa de uma gestão integrada dos resíduos, aquando, em 2004, da inauguração da Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos da Madeira, através de uma aposta na prevenção da produção e em taxas de reciclagem elevadas, depressa se tenha transformado no domínio hegemónico da incineração.
Actualmente, apesar do Plano Estratégico de Resíduos da Região definir para 2017 uma meta de reciclagem de 35%, o desempenho da Madeira a este nível está abaixo dos 20%. Este mesmo Plano Estratégico previa que no fim do corrente ano a Região estivesse a reciclar 40% dos resíduos orgânicos produzidos, mas, com o sistema de
compostagem encerrado, esta meta continua a zeros, diz o partido.
Além do processo de compostagem ser mais amigo do ambiente do que a incineração, acresce o facto de ser muito mais barato e, portanto, mais sustentável a todos os níveis, defendem.
Quando ainda estava em funcionamento o processo de compostagem na Estação da Meia Serra, a entrega de uma tonelada de resíduos para compostagem custava às autarquias menos de metade comparativamente ao custo do tratamento por incineração, garante o Nós, Cidadãos”, que conclui que o encerramento da compostagem, e, agora,
a falta de vontade em reactivá-la, está relacionado com o interesse em manter os municípios – e consequentemente os munícipes – a pagar mais pelo tratamento dos lixos produzidos. “A suportar esta conclusão está o facto constatado pelo NÓS, Cidadãos! de não existir nenhuma verba inscrita na proposta de Orçamento da Região Autónoma da Madeira para 2018, específica para reverter esta situação”, enfatizam.