CDS reuniu com economistas e aponta orçamento refém de uma dívida gigantesca e das PPPs

Na sequência das reuniões que o grupo parlamentar do CDS-PP Madeira tem mantido com as ordens profissionais para análise da proposta de Orçamento da Região para 2018, os deputados José Manuel Rodrigues e Mário Pereira reuniram-se hoje com o presidente da Ordem dos Economistas, André Barreto.
A reunião serviu para perceber o que pensam os economistas da proposta de Orçamento Regional, e respectivas opções financeiras. De acordo com José Manuel Rodrigues, as opiniões transmitidas por estes profissionais coincidem, em múltiplos aspectos, com as preocupações do CDS. O plano de investimentos, disse, “é prisioneiro de uma dívida gigantesca” herdada dos anteriores governos do PSD.
Basta dizer, apontou, que há um serviço da dívida da ordem dos 600 milhões de euros. A condicionar o orçamento estão também as Parcerias Público-Privadas “ruinosas, que levam 100 milhões de euros do dinheiro dos contribuintes”, no próximo ano.
O Orçamento, considerou, é ainda refém do modelo de financiamento da autonomia, sobretudo das áreas governativas da Saúde e da Educação, e que deve ser renegociado com o Estado. “Para além disso, há uma política de voltar a fazer grandes obras públicas e investimentos públicos”, o que, para os centristas, não parece “o melhor caminho, pois foi precisamente isso que conduziu ao PAEF e ao endividamento financeiro”.