Secretário de Estado da Saúde e presidente da Raríssimas demitem-se depois das acusações em reportagem da TVI

rarissimas presidente
A presidente da Raríssimas é alvo de acusações de abuso de poder e uso de dinheiros da instituição para fins pessoais.

A presidente da Associação Raríssimas, alvo de uma reportagem da TVI em que denunciava práticas abusivas e gestão danosa, uso dos dinheiros para fins pessoais, demitiu-se. Paula Brito e Costa continua a negar acusações, apesar do trabalho jornalístico daquela estação conter relatos e provas de que a gestão da Raríssimas tinha muito para explicar.

Mas não foi só a presidente da sair. O secretário de Estado da Saúde do Governo de António Costa, Manuel Delgado, a quem eram imputadas ligações aquela instituição onde foi consultor e terá recebido 63 mil euros pela colaboração, também pediu a demissão e já foi substituído por Rosa Zorrinho.

A Associação Raríssimas, Associação Nacional de Doenças Mentais e Raras, é uma instituição de solidariedade social e nos últimos cinco anos terá recebido 2,7 milhões da Segurança Social. O ministro do Trabalho e Segurança Social, Vieira da Silva, que disse já estar a decorrer, há cinco meses, um inquérito aquela instituição, foi vice presidente da Assembleia Geral da Raríssimas entre 2013 e 2015.