JPP foi à Ribeira Brava apelar à união do povo contra o “saque à água”

 

O JPP esteve ontem numa iniciativa nas zonas altas do concelho da Ribeira Brava, contactando com a população local, que está, afirma o partido, preocupada com as obras previstas pelo Governo Regional para a recuperação da Levada do Norte – lanço sul – Túnel do Espigão, temendo-se prejuízos para a população, se não houver reformulação do projecto.

Dirigindo-se aos moradores dos sítios de São Paulo, Eira do Mourão, Espigão, Fontes e Ribeira Funda, Élvio Sousa apelou “a uma união colectiva na defesa do saque à água dos particulares pela entidade pública empresarial, Águas e Resíduos da Madeira – ARM”.

O deputado do JPP alertou para a necessidade “da criação de um movimento associativo em defesa dos interesses das zonas altas da Ribeira Brava” e pediu à população para não se deixar levar em conversas: “Se possível, peçam um contrato escrito e não se deixem levar por falsas promessas deste Governo PSD, a reboque de interesses que prejudicam a população. Já outras promessas foram feitas, como o ferry, transportes aéreos mais baratos, baixar custos com transportes de mercadorias e até agora não cumpriram”, acusou.

O grupo parlamentar do JPP levou ao parlamento regional o diploma que recomendava ao Governo Regional a reformulação do projecto de recuperação da Levada do Norte – lanço sul – Túnel do Espigão. O tema foi discutido a 21 de Junho e foi chumbado pela bancada do PSD, recorda o partido em comunicado. “Cinco meses depois, Miguel Albuquerque vem dizer que afinal é para reformular o projecto”, constata o partido.

“Este PSD diz-se renovado, mas na verdade é mais do mesmo. Chumbam as propostas da oposição, mas tempos depois aproveitam-nas”, criticou o dirigente e deputado Élvio Sousa.