Secretaria da Inclusão salienta medidas para apoiar desempregados

A Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais salienta que desde o início do ano, 1011 desempregados foram integrados em acções de formação, “tendo em vista dotar a população desempregada de índices de qualificação profissional mais adaptados aos novos contextos do mercado laboral e melhorar significativamente os seus níveis de empregabilidade, demonstrando um claro empenho do IEM em dotar a população desempregada de novas ferramentas, imprescindíveis a um mundo do trabalho em constante mudança e onde a qualificação dita as suas regras condicionando sobremaneira a inserção ou reinserção profissional”.

A Secretaria Regional, através do Instituto de Emprego da Madeira, IP-RAM, tem desenvolvido na RAM um conjunto de medidas, no sentido de dotar a população desempregada de índices de qualificação profissional, mais adaptados aos novos contextos do mercado laboral, melhorando significativamente os seus níveis de empregabilidade e tornando-os mais aptos na inserção ou reinserção no mercado de trabalho, refere comunicado oficial.

Ao abrigo do Programa Operacional Madeira 14-20, a ser desenvolvido ao longo dos próximos dois anos, em parceria com o Instituto para a Qualificação, IP-RAM e com 20 entidades formadoras da Região e do Continente, encontram-se aprovados 133 percursos de formação, dos quais 33 já tiveram o seu início tendo abrangido 668 desempregados.

Neste âmbito, a Gestlider, em virtude do seu trabalho no domínio da formação profissional, assumiu-se como um dos parceiros perfeitos rumo a uma melhoria significativa das qualificações da população desempregada, diz a SRIAS.

“Esta produtiva colaboração permitiu, até ao momento, envolver numa primeira fase 23 desempregados que já terminaram o primeiro Curso de Técnico de Contabilidade e Fiscalidade (125 horas), encontrando-se mais um a decorrer e outros tr~es previstos para o próximo ano, sendo que no total serão formados, nesta tão importante área, 120 desempregados com habilitação entre o 9º e o 12º ano de escolaridade”, aponta-se.

Resta concluir que estas medidas revelam um esforço concertado, da parte do Governo Regional, no âmbito do Emprego e da Formação Profissional, em estreita articulação com o sector privado com vista a dotar a população desempregada de novas ferramentas, imprescindíveis a um mundo do trabalho em constante mudança e onde a Qualificação dita as suas regras condicionando sobremaneira a inserção ou reinserção profissional, afirma a SRIAS.