Estepilha: novo director no Museu de Arte Sacra… e o bispo não sabe

O Funchal Notícias acompanhou a atribulada inauguração da exposição “As Ilhas do Ouro Branco” no Museu de Arte Antiga, em Lisboa. A exposição está muito boa, mas a inauguração teve falhas, conforme já apontámos: o presidente da República, o ministro da Cultura, o presidente do Governo Regional, a secretária regional do Turismo e Cultura e outras entidades visitaram a mostra antes da inauguração da mesma, enquanto outros responsáveis esperavam cá fora. Caso, por exemplo, do bispo do Funchal, do director do Museu de Arte Sacra do Funchal (entidade que emprestou muitas peças distintas para esta exposição em Lisboa) e do presidente da Câmara Municipal do Funchal, por exemplo. A secretária do Ambiente, Susana Prada, também só entrou à posteriori. E os que visitaram antes a mostra, uns foram logo embora, outros foram conversar para o jardim do Museu.

Ora, parece que uma espécie de maldição persegue os responsáveis pela maior cedência de peças da Madeira para esta mostra, principalmente de arte flamenga, escultura, ourivesaria e quejandos. Além de terem sido deixados na rua à espera, enquanto outras Excelências visitavam antecipadamente a exposição, agora vem um dos curadores ser apontado, na imprensa nacional, como director do Museu de Arte Sacra do Funchal, com desconhecimento do bispo. É só ver a última edição do semanário “Sol”. Cuidado com os cargos… Estepilha…