Nós, Cidadãos! veio propor programa para o uso eficiente da água na RAM

O partido Nós, Cidadãos! veio propor um Programa para Uso Eficiente da Água na Madeira. De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), há seis meses que a chuva é muito menos do que era preciso em Portugal e, como consequência, quase todo o território do continente português está numa situação de seca severa ou extrema, refere esta força política, que lembra que a Madeira está, desde há alguns anos, com níveis de precipitação cada vez mais baixos, uma possível consequência das alterações climáticas, em linha com a previsão de que
teremos reduções de 30%, até 2050, e 50%, até ao fim deste século.

Não obstante esta realidade – apontam os responsáveis do partido –  que tende a criar constrangimentos ao nível da disponibilidade de recursos hídricos para abastecimento humano, rega e produção de energia hidroeléctrica, além do
cumprimento de funções ecológicas, “a RAM continua sem reunir e implementar um conjunto de medidas que permita alterar o paradigma na gestão da água, focando-se na poupança e no seu uso eficiente”.

Foi com o propósito de preparar a Região para enfrentar este desafio e minimizar o problema de escassez que tenderá a afectar cada vez mais os recursos hídricos, o NóS, Cidadãos! propôs ao Governo Regional da Madeira o desenvolvimento e implementação de um Programa para o Uso Eficiente da Água na Região Autónoma da Madeira, em consonância com o Plano Regional da Água (Decreto Legislativo Regional n.º 38/2008/M, de 20 de Agosto) e com o Plano de Gestão da Região Hidrográfica do Arquipélago da Madeira (Resolução n.º 945/2016, de 16 de Dezembro).
Este Programa deverá estar vocacionado para a implementação de medidas que, ao nível colectivo e individual, reduzam substancialmente os desperdícios e fomentem a poupança, não só através da promoção de comportamentos adequados (recorrendo à educação ambiental, à adequação dos tarifários e à fiscalização, por exemplo) como também pela adopção de tecnologias mais eficientes (particularmente ao nível da rega, distribuição e uso da água).

O Nós, Cidadãos! considera “inadmissível que continuemos a ter sistemas de distribuição de água para consumo humano com perdas na rede superiores a 50%, sendo fundamental realizar os investimentos necessários para a redução substancial destes valores, nomeadamente através de mecanismos de telegestão e renovação das próprias redes. É ainda importante fechar o ciclo urbano da água dispondo de níveis de tratamento adequados que permitam a reutilização das águas residuais para fins compatíveis, nomeadamente lavagens e regas. Por outro lado, a recolha e aprovisionamento descentralizados de água da chuva, proveniente da escorrência dos telhados e superfícies impermeabilizadas, poderá não só reduzir a utilização de água potável para lavagens e regas como também minimizar o efeito de pequenas inundações que cada vez mais ocorrem em dias de chuva nos espaços
urbanos mais consolidados”, asseveram Filipa Fernandes (Presidente do NC – Madeira e Porto Santo e membro do Conselho Nacional do “Nós, Cidadãos!”) e Miguel Costa (Vice-presidente do NC – Madeira e Porto Santo e membro da Comissão Política Nacional do NC).
Na comunicação enviada ao Governo Regional da Madeira, o partido chama ainda a atenção para o anacronismo e ineficiência dos sistemas de distribuição de água que servem as explorações agrícolas da Madeira, sendo desejável a existência de sistemas de distribuição de água de rega canalizada, e sob pressão, para fomentar a adopção de
tecnologias de rega mais eficientes (gota-a-gota e aspersão, por exemplo) e combater as elevadas perdas que ocorrem nos actuais canais secundários. No que diz respeito à adopção de comportamentos de poupança e uso eficiente da água, o partido Nós, Cidadãos! defende o desenvolvimento de um projecto de educação ambiental dirigido a toda a
sociedade, focando-se particularmente nas famílias e nas organizações mais representativas da sociedade.