Tradição de Ponta Delgada exposta no Funchal

Paula Cabaçoexposição Brincos de Ponta
Pula Cabaço esteve presente na exposição que aborda uma tradição do sítio da Lombada, Ponta Delgada.

A secretária regional do Turismo e Cultura esteve presente, hoje, no espaço Infoart, na abertura da exposição “20 Anos na Memória”, integrada no projeto “Brincos de Ponta”, que faz alusão a aspetos da tradição do sítio da Lombada, Ponta Delgada, na sequência de uma recolha da Associação Musical e Cultural Xarabanda. Uma tradição que não encontra paralelo em outras localidades da Madeira sendo estes o jogo da Gangorra, o pife e a Serrada da Velha.

A Exposição já esteve em vários locais de S. Vicente, no átrio da UMa e chega, agora, ao Espaço Infoart. Iniciou-se em março deste ano, coincidindo com a altura em que se realiza esta prática ancestral. Embora existam registos que apontam para a existência da prática desta tradição na Ponta de Sol, na atualidade apenas se cumpre no Sítio da Primeira Lombada, freguesia da Ponta Delgada.

Paula Cabaço, a secretária, relevou a importância de fazer “prevalecer iniciativas para valorizarmos o nosso património. Esta associação fez um trabalho de pesquisa, um trabalho rigoroso, dando a conhecer esta exposição às pessoas. Neste momento está no Funchal, é importante trazer para o meio urbano e dar a conhecer aos mais novos, mas também os que nos visitam, que cada vez mais querem saber das nossas raízes, o que marca a diferença na nossa Região”.

A exposição “20 Anos na Memória”, como refere o prospeto alusivo à mostra, “pretende contribuir para a revitalização, promoção e divulgação das práticas do Património Cultural Imaterial da freguesia de Ponta Del-gada e realiza-se em dois momentos: ao 20o dia da Quaresma, celebrando a tradição da Serrada da Velha, e no dia da 1a Oitava do Natal realizando a posteriori um itinerário expositivo que visitará vários pontos do concelho de São Vicente e de toda a Região Autónoma da Madeira levando a toda a
ilha e ao país o conhecimento da tradição da Costa Norte da Madeira e de Ponta Delgada, contribuindo assim para o reforço da identidade colectiva local e valorizando a sua cultura imaterial”.