Filipe Sousa desmente “mentiras” sobre um prédio que “pertence ao município”

A Câmara Municipal de Santa Cruz veio hoje, em conferência de imprensa desmentir as “lamentáveis e mentirosas declarações proferidas por um nomeado do Madeira Parques” a propósito da titularidade de um prédio que, de acordo com o edil santacruzense, Filipe Sousa, pertence ao município.

“O referido senhor, em defesa do seu tacho, não teve qualquer pejo em mentir numa Comissão Especializada da Assembleia Legislativa da Madeira, nem teve, na sua qualidade de nomeado, pejo em mentir relativamente a um bem público, pertença desta autarquia e, logo, pertença do povo de Santa Cruz”, acusou.

“E, não satisfeito, ainda se dedica a falar de boca cheia e em tom jocoso daqueles que defendem o interesse do povo. Mas, por um lado, ainda bem que falou, porque aqui está o cerne de toda esta questão, aqui reside aquilo que nos diferencia dos senhores instalados, com ordenados de luxo, no Madeira Parques”, criticou o presidente: “É que esses senhores gerem uma sociedade falida e os seus próprios interesses, enquanto que a Câmara de Santa Cruz gere o bem público e defende o povo”, concluiu.

O edil acusou “estes senhores” de “viverem artificialmente no ar condicionado e protegidos pelos seus gabinetes”, distantes do povo.

Segundo Filipe Sousa, o prédio em questão é realmente pertença do Município de Santa Cruz, afirmou o presidente, exibindo o Registo de Propriedade. “Pelo que esse senhor mente com todos os dentes que tem na boca com o único objectivo de garantir o tacho dourado em que foi principescamente colocado”, fulminou.

Segundo a CMSC, o tribunal ainda não decidiu nada quanto à titularidade do prédio em questão, tendo a única decisão proferida sido no âmbito de uma Providência Cautelar, que teve como efeito a suspensão da venda em Hasta Pública que o município pretendia fazer do lote. “Curiosamente, o mesmo lote que o Governo já prometeu vender pela calada da noite, e pelo qual até já recebeu dinheiro. É por isso que digo e repito que o Governo Regional roubou o povo de Santa Cruz”, acusou.

No final, Filipe Sousa lançou um desafio ao novo governante com a tutela das Finanças e da Economia, no sentido de saber qual o posicionamento relativamente a esta questão.