“Os políticos devem saber interpretar a vontade do povo e ter a coragem de mudar o que está mal”, defende Sara Madruga

sara madruga da costa
Sara Madruga considera que “a realidade dos partidos e do mundo em que vivemos não é estática, por isso os partidos têm de continuar a reinventar-se”.

Para o Partido Social Democrata, o contexto político assume uma particular relevância, confrontado, por um lado, com a elaboração, por parte do Governo e parceiros, da proposta de Orçamento de Estado para 2018, que deverá ser entregue amanhã na Assembleia da República, mas por outro com a abertura do processo interno que irá conduzir à substituição de Passos Coelho, que não se recandidata à liderança do partido, numa corrida que, para já, tem dois candidatos assumidos, Santana Lopes e Rui Rio.

Passos, resultados e futuro

Mas se a conjuntura nacional é aquela que se sabe, periclitante para a estratégia de Passos e dos seus apoiantes, ainda mais fragilizada com o resultado desastroso nas eleições autárquicas recentes, o cenário que nos é dado pela situação do PSD na Madeira não é melhor. Só muda mesmo porque é governo na Região e as eleições ainda serão em 2019. As alterações já começaram, não muito pacíficas, mas o resultado só mesmo mais lá para a frente.

Realidade dos partidos não é estática

Sara Madruga, deputada social democrata madeirense na Assembleia da República, desdramatiza o momento conturbado hoje vivida no seio do PSD. Considera mesmo que “a realidade dos partidos e do mundo em que vivemos não é estática, por isso os partidos têm de continuar a reinventar-se. O debate de ideias interno e a dialética são muito importantes, para discutir e preparar melhor o futuro. Esta nova realidade nacional será, certamente, mais um momento de afirmação do maior partido português”.

PSD-M não se compromete com qualquer candidato

Em matéria de candidatos, a parlamentar lembra a posição já assumida pelo partido, na Região, de não se comprometer, para já, com qualquer um dos nomes avançados para a nova liderança que sairá das eleições de 13 de janeiro de 2018, não invalidando com isso o posicionamento que terá presente no sentido de apresentar um “caderno reivindicativo de matérias essenciais para a Região”.

O resultado, verdadeiramente preocupante para o futuro do PSD, gerando um clima de instabilidade, que é ainda maior por se tratar de um partido com tradição de poder, não deixa margem para contestar, era mais ou menos previsível. Sara Madruga é pragmática na avaliação: “O povo é soberano nas suas decisões, por isso os políticos têm de saber interpretar a vontade do povo, têm de ter a coragem para implementar as mudanças necessárias e para mudar o que está mal. A política é cada vez mais um exercício de humildade e proximidade”. Assim, simples na análise.

Novo hospital, mobilidade e subsistemas ainda bloqueados

Sara Madruga
“Continuamos a aguardar que sejam desbloqueados assuntos essenciais e prioritários para a Região, como o financiamento do novo hospital da Madeira, a revisão do modelo do subsídio de mobilidade”.

Não considera, ainda assim, apesar das dificuldades, um problema de maior para o PSD proceder a essa “reinvenção”, tendo em vista recuperar o terreno perdido. Isto porque, em sua opinião, “o balanço dos dois anos da governação da geringonça é bastante negativo, continuamos a aguardar que sejam desbloqueados assuntos essenciais e prioritários para a Região, como o financiamento do novo hospital da Madeira, a revisão do modelo do subsídio de mobilidade, a regularização da dívida de 16,5 milhões dos subsistemas de saúde da PSP e das Forças Armadas à região e a redução das taxas de juro do empréstimo contraído pela Madeira ao Estado, em 2012”.

À parte das questões partidárias internas, que nos próximos meses vão mobilizar o partido num sentido eleitoral, que habitualmente “suspende” negociações importantes de assuntos pendentes, a deputada promete, no âmbito da sua atividade parlamentar, continuar a desenvolver “um trabalho de proximidade na região, reunindo com cidadãos e instituições porque todos os problemas contam”.