Primeiro ginásio ao ar livre já disponível nas Virtudes

A

Ginasio CMF ar livre B
Paulo Cafôfo e os vereadores Miguel Gouveia e Madelana Nunes marcaram presença para assinalar a entrada em funcionamento do primeiro de três ginásios ao ar livre previstos para o Funchal

A Câmara Municipal do Funchal deu conta que já tem ao dispor da população o primeiro de três ginásios ao ar livre que serão instalados na cidade do Funchal. Neste caso, já se encontra aberto o espaço para o efeito nas Virtudes, em São Martinho. Seguem-se ginásios ao ar livre no Jardim do Almirante Reis e na Quinta Deão, no Imaculado Coração de Maria.

A Autarquia avança, assim, com a aquisição e instalação destes três conjuntos de mobiliário urbano para equipar parques destinados à prática de ginástica, disponibilizando diversas máquinas para trabalhar a musculatura corporal, muitas vezes como complemento a treinos de resistência, como corridas, numa prática que tem ganho crescente popularidade no nosso país, ao longo dos últimos anos.

A vereadora Madalena Nunes, que tem o pelouro do Desporto, explica que “a Autarquia entendeu por bem potenciar o bom clima do Funchal para democratizar o acesso à prática desportiva no concelho, descentralizar práticas e circuitos de atividade física e investir na dinamização da cidade a nível da própria economia local, com cada vez mais gente na rua.”

Para a Vereadora, segundo nota enviada à comunicação social, “estes ginásios ao ar livre são concebidos para um tipo de preparação física tão apropriada para amadores, como para profissionais, estando naturalmente disponíveis para toda a população. Os aparelhos instalados estão, de resto, munidos das devidas indicações, no sentido de que a utilização seja o mais autónoma possível, para todos os interessados.” Este é, assim, mais um investimento na qualidade de vida da cidade, destacando a Vereadora a importância de “descentralizar práticas e circuitos de atividade física.” A instalação destes equipamentos na Quinta Deão e nas Virtudes, “que são duas zonas de importante densidade habitacional e que não estavam guarnecidas deste tipo de mobiliário, fora do Centro, traduzem bem essa intenção de que as pessoas tenham a oportunidade de fazer exercício físico perto das suas casas, sem terem de se deslocar para as zonas habituais, várias delas turísticas.”

A Baixa da cidade ficará, por sua vez, salvaguardada com um parque no Jardim do Almirante Reis, “que pode beneficiar da articulação com o próprio Skatepark do Funchal”, considera Madalena Nunes.