José António Castro leva à população um “projeto diferente” para o Porto Santo

Castro 1º dia de campanha B
José António Castro manteve contactos porta a porta neste primeiro dia de campanha.

José António Castro, candidato pelo movimento Mais Porto Santo, passou o primeiro dia de campanha a manter contactos diretos com a população, refletindo nos princípios que o levaram a abraçar este projeto, demarcando-se daquilo que considera ter sido a prestação de PSD e PS no passado e presente da ilha dourada.

O candidato lembra o que não foi feito nas últimas décadas e dá o exemplo do que se está a passar com a Escola Dr. Francisco Freitas Branco, que em sua opinião está ser usada “como arma de arremesso político” entre esses dois partidos, que “nada fizeram pelos nossos alunos, seus pais e encarregados de educação”. Quer que o eleitorado do Porto Santo olhe para o seu projeto como marcando a diferença, acredita que será assim e diz que vai colocar um ponto final “nos tempos difíceis, de privação e sacrifícios”.

Em contactos mantidos no sítio do Cabeço, José António Castro levou a mensagem que pretende passar, de forma a que as pessoas “entendam o que está em jogo”, refere ter uma “equipa competente” para gerir os destinos da Câmara e aponta objetivos que pretende dar a conhecer, durante esta campanha eleitoral que agora arranca.

Passar os bombeiros voluntários a municipais, criando 21 postos de trabalho, construir um grande mercado de peixe e legumes e artesanato, melhorar a rede de transportes , isenção de taxas aeroportuárias entre Madeira e Porto Santo, reposição do transporte marítimo de passageiros em janeiro, apoiar os idosos, melhorar condições do Centro de Saúde e adquirir uma unidade móvel, plano de renovação e requalificação da cidade do Porto Santo, são alguns dos objetivos definidos pelo movimento Mais Porto Santo.