250 candidatos reuniram-se na Convenção Autárquica do CDS

Fotos DR.

Rui Barreto foi recebido ontem à tarde com uma forte ovação por uma plateia que o recebeu de pé enquanto se dirigia para o palco na Convenção Autárquica do CDS-PP, que se realizou num hotel do Funchal.

Cerca de duas centenas e meia de candidatos de todas as listas do CDS-PP às próximas eleições autárquicas receberam esta tarde uma onda de força para a ponta final do processo autárquico que culmina no próximo dia 1 de outubro.

Os candidatos de todos os concelhos da Região subiram ao palco num ambiente de entusiasmo, com músicas alusivas aos respectivos concelhos e sob fortes aplausos, numa Convenção onde os candidatos às câmaras, às assembleias municipais e juntas de freguesia falaram dos seus projectos para os respectivos órgãos autárquicos mas também apontaram as necessidades das populações e criticaram opções de quem está no poder.

Algumas das intervenções foram muitos saudadas, casos de Sara Madalena, candidata à Câmara Municipal da Ponta do Sol, João Paulo Santos, Câmara de Lobos, Martinho Câmara, Calheta, Teófilo Cunha, Santana, Leontina Serôdio, Santa Cruz, Porto Santo, através de João Rodrigues e Duarte Nuno Dias, Machico, José Moniz e Bruno Nóbrega, com Rui Barreto a levantar a plateia.

O presidente do CDS-PP, António Lopes da Fonseca, abriu a Convenção e manifestou a sua “profunda gratidão” a todos os candidatos, metade dos quais independentes, mas que se revêm no CDS-PP e “neste caminho de renovação que está a ser feito”.

Domingues Doutel, Coordenador Autárquico Nacional do CDS, trouxe a mensagem da líder nacional Assunção Cristas aos autarcas da Região, congratulando-se pelo facto de a Madeira ser a Região do país em que o CDS-PP tem mais candidaturas próprias.

Em dia de aniversário, 41 anos completados, Rui Barreto foi o alvo de todas as atenções. A Convenção, que decorreu sob o lema “O melhor de nós em todos os concelhos da Região”, teve na candidatura à Câmara do Funchal a expressão desse “melhor”.

Rui Barreto agradeceu o apoio, afirmou-se satisfeito por ver “tanta gente nova em todas as candidaturas”, enalteceu o facto de a candidatura à CMF ser “construtora de ideias, positivista e inclusiva”, e por agregar um conjunto de pessoas jovens com provas reconhecidas nas suas áreas profissionais e mérito na sociedade.

“Quero dizer que o caminho que fizemos já é longo, pois iniciou-se em novembro de 2016, mas temos feito com humildade, muito trabalho e competência, juntando os melhores em cada uma das dez juntas de freguesia do Funchal, à Assembleia Municipal e à Vereação”, disse Rui Barreto aos presentes. “É por isso que temos muita gente independente a querer reforçar as nossas listas porque reconhecem a competência dos nossos candidatos e sabem que a nossa lista tem muito respeito pelos funchalenses.”

A candidatura de Rui Barreto tem tido respeito por todos os adversários porque desde o início assumiu-se como construtora de ideias, positiva e inclusiva. “A isto juntamos o corpo do CDS e tonificámo-lo com independentes, com profissões e provas dadas, sinto que estamos no caminho certo, com uma campanha com alma e competência”, afirmou.

“Sinto que há cada vez mais gente a pensar como nós, e depois de uma semana em que fui a três debates com os candidatos, são hoje os funchalenses que me dizem na rua: força, você está no caminho certo”, revelou.