Ausência de protocolo da Câmara de Machico compromete apoio do pólo comunitário, diz PSD

A candidatura do PSD à edilidade machiquense lamentou ontem que a autarquia não tenha ainda renovado o protocolo com a Santa Casa da Misericórdia, relativo ao funcionamento do Pólo Sócio-Comunitário.

O cabeça-de-lista da candidatura à Câmara, Ricardo Sousa, recordou que o Pólo Sócio-Comunitário, criado durante o seu mandato na Junta de Freguesia, reúne várias entidades, estando a coordenação a cargo da Santa Casa da Misericórdia. O objectivo foi agregar todo o apoio aos mais carenciados, através da parceria de um conjunto de instituições, de modo a evitar a duplicação de ajudas, referiu.

No entanto, conforme explicou, a falta de protocolo leva a que as verbas que eram destinadas ao funcionamento do pólo não cheguem, comprometendo o trabalho ali realizado. “Quem sofre são sempre aqueles que estão à espera e que atravessam dificuldades”, apontou.

Numa conferência de imprensa realizada junto do pólo comunitário, Cristina Aveiro, número três da lista do PSD à Câmara de Machico, sublinhou por seu turno algumas das preocupações da candidatura relativas à área social. “Temos como objectivo tornar o concelho num território coeso, dispondo de uma rede de equipamentos que permitam dar resposta às necessidades já identificadas e desenvolvendo algumas estratégias de combate à pobreza e à exclusão social dos grupos mais vulneráveis, como é o caso dos jovens, das crianças, dos idosos e também dos desempregados”, declarou.

Nesse sentido, considera “fundamental” a “recuperação do projecto do Pólo Sócio-Comunitário”, no sentido da prestação de serviços e de bens aos mais carenciados.